menu
Topo

Pausa

Pare, respire e olhe o mundo ao redor


Bebê real: o que sabemos (até agora) sobre o 1º filho de Harry e Meghan

PPE/Brazil Photo Press/Folhapress
Harry e Meghan recebem dos súditos presente para o bebê durante visita a Birkenhead Imagem: PPE/Brazil Photo Press/Folhapress

Mariana Gonzalez

Da Universa

27/01/2019 04h00

O primeiro filho do príncipe Harry e da ex-atriz Meghan Markle está a caminho -- e deve chegar ainda antes de seus pais completarem um ano de casados. 

A pressa em dar mais um bisneto à rainha Elizabeth já era anunciada antes do casamento real, em maio de 2018 -- especialmente porque a mãe da criança, a duquesa de Sussex, disse "sim" aos 36 anos.

Agora, na reta final da gestação, a família real se prepara para receber o priminho de George, Charlotte e Louis para acompanhá-los das aulas de etiqueta às trapalhadas em eventos oficiais

Enquanto a criança não nasce, preparamos um dossiê com detalhes sobre a gravidez, o parto e os primeiros anos de a vida do bebê Sussex. Confira: 

A gravidez

Segundo o "Metro UK", Meghan e Harry anunciaram sua primeira gravidez para a família real durante o casamento da princesa Eugenie, em 12 de outubro. Os súditos souberam da novidade três dias depois, pelos canais oficiais do Palácio de Kensington. 

"Suas Altezas Reais o duque e a duquesa de Sussex têm o prazer de anunciar que estão esperando um bebê. Suas Altezas Reais apreciaram todo o apoio recebido desde o seu casamento, em maio, e estão animados em compartilhar esta notícia feliz com o público", comunicou o palácio, pelo Instagram. 

No dia do grande anúncio, o casal desembarcou em Sydney, na Austrália, para sua primeira turnê internacional enquanto duques de Sussex -- título que receberam como presente de casamento da rainha Elizabeth

Durante duas semanas, os futuros pais encararam uma agenda lotada de compromissos em quatro países da Oceania: Austrália, Fiji, Nova Zelândia e Tonga, incluindo encontros com líderes e ativistas locais, participação em cerimônias típicas, visitas a instituições de caridade e muita saudação ao público animadíssimo com a chegada do novo bebê real

Sob a liderança de uma guarda-costas mulher, a equipe de segurança redobrou os cuidados com a duquesa de Sussex.

Em Fiji, ela precisou ser tirada às pressas de um evento com mulheres da ONU depois de uma falsa ameaça a sua segurança. Meses depois, durante um evento de moda em Londres, não conseguiu se encontrar com Kendall Jenner por bloqueios da equipe. 

Getty Images
Imagem: Getty Images

Desde o início da gravidez, Meghan está cumprindo uma rotina rigorosa que inclui meditação ao lado de Harry e até ioga às 4h30 da manhã. O número de compromissos é tanto que seu estafe pediu que ela tirasse o pé do freio e reduzisse as atividades nos últimos meses de gestação. 

O título de duquesa não livrou a ex-atriz do chamado mommy shaming. Durante a gestação, ela foi alvo de críticas por se apegar demais à barriga e -- pasmem! -- por "parecer gorda"

O parto

Como manda a tradição da família, a data prevista para o nascimento não é divulgada até que a mamãe real entre em trabalho de parto. Quando anunciou a gravidez, o palácio disse apenas que o primeiro bebê Sussex deve nascer na primavera (ou seja, entre março e junho, outono no Brasil). 

Em visita à cidade inglesa de Birkenhead, em janeiro, no entanto, Meghan deixou escapar que está grávida de seis meses -- o que dá uma data mais aproximada para o parto, já que ela completará nove meses em abril. 

Segundo a correspondente real Katie Nicholl, da "Vanity Fair", Meghan não vai seguir a tradição recente de parir na exclusiva Lindo Wing do Hospital St. Mary, em Londres, como Kate Middleton e princesa Diana fizeram no nascimento de todos os seus filhos. 

Ao que tudo indica, a duquesa está considerando um parto domiciliar em sua nova casa, Frogmore Cottage, em Windsor -- para onde deve se mudar a qualquer momento, depois de oito meses vivendo com Harry em um apartamento de dois quartos no palácio de Kensington

O gênero

Outro costume da família é manter o gênero da criança em segredo até o parto.

Quando o bebê vier ao mundo (e só depois que a rainha for informada), um representante real deve pregar um anúncio oficial em frente ao Palácio de Buckingham, informando não só o gênero, mas o horário do nascimento, o peso o estado de saúde da mãe e da criança. 

Segundo a própria Meghan disse a uma criança em Birkenhead, nem ela nem Harry sabem se terão um filho ou uma filha. No entanto, Harry deixou escapar que gostaria de ter uma menininha -- e até deu uma pista de nome engraçado que poderiam escolher. 

Segundo o "The Sun", não saber o sexo do bebê terá influência também na decoração do quarto da criança, que será pintado em tons "agênero", como branco e cinza, com tinta vegana.

O nome 

Diferentemente do gênero da criança, o nome não é anunciado no dia do nascimento -- pelo contrário, pode levar dias.

Quando Kate e William tiveram seu terceiro filho, em abril, demoraram quatro dias para anunciar seu nome -- Louis Arthur Charles. O motivo? O escolhido deve ser ponderado para agradar aos membros da família, especialmente à rainha, além de honrar a sua história. 

Como o filho de Meghan e Harry ficará com o sétimo lugar na linha de sucessão ao trono, a pressão pela escolha de um nome clássico e que remeta a antigos monarcas britânicos é bem menor. 

De acordo com a "Vogue", a rainha deve permitir um nome mais "diferentão" para o bebê Sussex -- como puderam fazer a princesa Anne, que batizou sua segunda filha de Zara, e o príncipe Andrew, que batizou suas filhas como Eugenie e Beatrice. 

A licença-maternidade

Meghan garantiu que vai trabalhar até o final da gravidez, mas a exemplo de Kate Middleton, que teve sua licença-maternidade estendida após dar à luz, a duquesa de Sussex pode passar alguns meses afastada de suas funções. 

A ideia não é evitar aparições, mas diminuir a agenda e comparecer apenas a eventos familiares, como casamentos e batizados, além de algumas ocasiões das instituições das quais é patrona, como o National Theatre

Veja também

Os títulos 

A princípio, o bebê de Meghan e Harry não será príncipe ou princesa, portanto, não deverá seu chamado de "Sua Alteza Real". Isso porque não é descendente direto do futuro rei da Inglaterra, seu tio William. 

Mas isso pode mudar caso a rainha Elizabeth abra uma exceção, como ocorreu com Eugenie e Beatrice: elas só são chamadas de princesa porque a avó lhes deu o título quando nasceram, na década de 1980.

Getty Images
Eugenie e Beatrice chegam ao casamento de Harry e Meghan com seu pai, o duque de York Imagem: Getty Images

Se a criança for um menino, herdará o título do pai, duque de Sussex, quando este estiver vago -- ou seja, quando Harry morrer. Até lá, se a rainha quiser, pode conceder a ele um título "menor", como fez com seu neto mais novo, James, Visconde Severn. 

Segundo a lei de títulos, se for uma menina ela não herdará o título e será referida apenas como "lady", recebendo o sobrenome da família, Windsor -- caso de Lady Louise Windsor, por exemplo, filha do príncipe Edward.

O batizado

A família real costuma eleger não um casal, mas um grupo de pessoas como padrinhos -- e, de acordo com a "Cosmopolitan" britânica, William e Kate não estão escalados para o cargo

E não, o motivo não é a suposta briga entre Meghan e Kate, mas o protocolo. Por tradição, os padrinhos escolhidos não devem ter parentesco tão próximo à criança. 

Louis, o último bebê real a ser batizado, por exemplo, foi apadrinhado por seis pessoas, entre elas uma prima de sua mãe, uma sobrinha da princesa Diana e amigos de longa data de William.

A três meses do nascimento do bebê Sussex, tabloides britânicos já estão fazendo suas apostas em alguns padrinhos famosos e anônimos: Jessica Mulroney, Misha Nonoo e o casal George e Amal Clooney.   

Na segunda-feira (21), a especialista em família real Andrea Boehlke colocou mais uma possibilidade no radar: Priyanka Chopra, grande amiga de Meghan desde os tempos de atriz. 

Os primeiros anos

A princípio, o bebê será criado em Windsor, a 40 quilômetros do palácio de Buckingham, em Londres. 

A Frogmore Cottage, nova casa da família, tem dez quartos, academia e estúdio de ioga. Além do lar oficial, ele (ou ela) passará os verões com a família em Balmoral, na Escócia, e algumas temporadas na casa da família em Cotswald, a duas horas da capital. 

Vale lembrar que Harry e Meghan não terão a guarda oficial do bebê, já que segundo a lei britânica todos os menores de idade da família Windsor são responsabilidade legal do chefe de estado. 

Portanto, qualquer decisão como viagens internacionais e matrículas em escolas devem ser aprovadas pelo monarca -- a rainha Elizabeth e, mais tarde, provavelmente seu avô, Charles. 

Como Meghan está encarando a primeira gravidez aos 37 anos, o casal deve se apressar se desejar ter mais de um herdeiro. Durante viagem à Irlanda, em julho, Harry deixou claro que não pretende ter muitos filhos, mas, se seguir a média da família real, terá pelo menos dois. 

Outro detalhe que chama atenção é que, segundo uma fonte próxima à família disse à "Vanity Fair", os pais não pretendem ter uma babá e terão ajuda da mãe de Meghan, Doria Ragland.

Mais Pausa