menu
Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


Stefhany: fama com Cross Fox, ida para a igreja e a fuga do casamento

Arquivo Pessoal
Stefhany Cardoso, conhecida como Absoluta, está processando o ex-marido por calúnia e difamação Imagem: Arquivo Pessoal

Talyta Vespa

Da Universa

16/01/2019 04h00

A divulgação de um vídeo feito por brincadeira tirou a piauiense Stefhany Cardoso do anonimato láááá em 2009. O clipe do hit "Eu sou Stefhany", que já foi visto por mais de 7,5 milhões de pessoas, foi feito durante uma farra com amigos e postado por um deles na internet, sem que Stefhany soubesse. O negócio viralizou, todo mundo viu e ela virou do dia para o próprio dia Stefhany Absoluta.

"Eu morava no interior do Piauí, não sabia nem o que era YouTube. Quando fui para Teresina, fui parada por várias pessoas. Elas diziam que me conheciam, cantavam a música para mim, e eu não entendia nada. Até que descobri que as imagens estavam públicas", conta a agora cantora, que se dedica à igreja Assembleia de Deus Igreja Pentecostal do Avisamento Cristão. Stefhany, claro, adorou a fama súbita. Contudo, segundo ela, dinheiro que é bom ninguém viu. "Pensei que eu fosse melhorar de vida, mas minha rotina continuou a mesma. A única diferença é que as pessoas me conheciam". 

Não demorou muito até que o CrossFox de Stefhany caísse no esquecimento. A fase pós-fama aproximou a cantora da religião e, hoje, ela garante: "Sou evangélica e vivo para servir a Deus. Não penso em voltar à carreira artística e ao mundo pop, só canto na igreja. Inclusive, você sabia que Deus tem me enviado músicas lindas? Acho que ele quer me confortar por tudo que tenho passado". 

"Tinha medo de morrer"

Stefhany é acusada de golpe pelo ex-marido, Roberto Cardozo, de 53 anos. Ele gravou um vídeo dizendo que a agora ex-mulher o abandonou e levou todo o dinheiro dos dois. O que ela diz à Universa é que fugiu por medo de morrer.

"Nossa relação nunca foi fácil, mas, nos últimos meses, piorou. Nós brigávamos muito, e eu passava a noite acordada com a nossa filha no colo. Em outubro, ele me disse que queria se separar. Eu aceitei. Nós morávamos no Recife, e eu pedi que ele me levasse até a casa que temos no Piauí. Assim, moraríamos em casas separadas até que a separação fosse resolvida. No entanto, ele disse que não me levaria a lugar algum. Pedi que me desse o dinheiro da passagem, já que era ele quem cuidava da nossa conta, e ele também negou. Me trancou dentro de casa, pegou o carro e saiu", relembra. 

O casal tem uma filha de dois anos, Debora Ester. Stefhany conta que sua única reação, quando Roberto saiu de casa, foi fugir com a menina.

"Eu não tinha dinheiro, só um cartão de uma conta que tínhamos juntos. Peguei minha filha e fugi pela janela só com a roupa do corpo. Corri para a rodoviária, saquei dinheiro para conseguir comprar a passagem de ônibus e parti para o Piauí. Mas ele foi mais rápido."

"Recebi a ligação de um pastor amigo, que avisou que ele estava a caminho de casa e que chegaria antes de mim. Então, liguei para irmãos da igreja que moram em Teresina e pedi que me abrigassem. Foram minha salvação", relembra.

Sem dinheiro, Stefhany conta que não tinha fraldas para colocar na filha, mas que elas não passaram fome. "A gente só conseguia comer porque a família com quem morávamos nos alimentava. São pessoas humildes e, mesmo assim, não nos deixaram faltar nada". Foi a partir dessas pessoas que ela conheceu a igreja que frequenta hoje. "Me senti muito bem nessa igreja, voltei até a cantar. Consegui ganhar um dinheirinho e alugar um apartamento para mim. Ainda estamos passando dificuldades, mas as coisas têm melhorado". 

A cantora relembra os quatro anos de sofrimento que caracterizam seu casamento: "90% de medo e 10% de alegria", diz, ao afirmar que só não se arrepende da união com Roberto porque, dela, nasceu a filha. "Foi tudo muito rápido. Nos conhecemos em uma 'cruzada', que é como são chamados os cultos ao ar livre. Depois de um mês, ele bateu na minha porta e me pediu em casamento. Eu não gostava dele, mas achei que deveria tentar. Meses antes, orei a Deus: "Se aparecer alguém bom, que seja rápido". Achei que fosse um sinal", conta.

"Me enganei: foram anos de tristeza, angústia e muito medo. Eu nunca o amei. Ele não tinha um temperamento estável, era agressivo, e eu estava sendo ameaçada. Não posso dar mais detalhes porque o processo contra ele corre em segredo de Justiça, mas eu só chorava. Não me separei antes por causa da minha filha, achei que era essa a vontade de Deus. Hoje vejo que não". 

A mudança de comportamento era o que mais assustava Stefhany: "Na frente das pessoas, ele era diferente. Me abraçava, pegava na minha mão, me beijava. Em casa, se transformava. Não queria que as coisas chegassem a esse ponto, mas foi ele que fez isso ao gravar o vídeo. Agora, além de pensão, quero que ele pague por calúnia e difamação. Esse vídeo fez com que eu perdesse muitos contratos para shows, interferiu no meu trabalho e no sustento da minha filha", diz.

Stefhany garante que o medo não passou, apesar da sensação de alívio.

"Tenho medo de ele aparecer. Há uma ordem judicial, a medida protetiva, que o impede de se aproximar de mim, só que, na prática, isso não significa nada."

"Venho a público porque quero passar uma mensagem, para que as mulheres não aceitem relacionamentos que as fazem sofrer. Não importa se foi só um empurrão ou uma palavra grosseira. Quero que minha história as estimule a denunciar seus agressores". 

Além de viver a sensação de segurança, Stefhany tem outros sonhos: ver a agenda de shows cheia de novo e conhecer o presidente Jair Bolsonaro.

"Deus já me falou que vou para Brasília encontrar o presidente Bolsonaro. Não sei como, mas vou". 

Outro lado

Procurada pela Universa, a advogada de Roberto Cardozo, Rolândia Barros, afirma que o ex-marido de Stefhany nega todas as acusações contra ele. "Meu cliente desconhece qualquer ação judicial contra ele, com exceção de uma medida protetiva que a própria cantora descumpriu ao sair de Teresina e ir até Valença para retirar alguns móveis que estavam na antiga residência do casal. Ele informa, ainda, que Stefhany não apenas levou os bens materiais como retirou o dinheiro das contas bancárias do casal que ela mesma administrava, uma vez que é analfabeto".

Mais Transforma