menu
Topo

Casa e decoração


Casa e decoração

Apartamentos pequenos: ideias para decorá-los driblando a falta de espaço

Marcelo Testoni

Colaboração para Universa

2019-01-11T04:00:00

11/01/2019 04h00

Para driblar a ausência de terrenos para novas moradias, as construtoras têm apostado cada vez mais em erguer prédios. O problema é que até mesmo nas alturas falta espaço. Para não passar aperto, veja dicas do que levar em consideração na hora de decorar um apartamento compacto e também uma galeria de projetos, com no máximo 50 m², para você se inspirar. 

1. Escolha em cores claras 

O branco é um tom que nunca sai de moda e que, ao rebater a luz --natural ou artificial--, ilumina todo o ambiente, dando a impressão de que ele é maior e mais arejado. O cinza, que é a grande aposta do momento, também funciona, mas cuidado para escolher uma versão que não puxe para o preto, que causa efeito contrário. Além das paredes, as cores claras e neutras, como amadeirados suaves, também podem aparecer no piso e nos móveis, deixando o destaque para os objetos. "Assim, enfeites, quadros ou tapete se destacam", explica a arquiteta Laura Kim.

2. Espelhos ajudam

Seja oval, quadrado ou retangular, mais importante do que o modelo da peça é que ela seja posicionada de forma que duplique, visualmente, o tamanho do ambiente. "Posicionar espelhos em frente a janelas, por exemplo, funciona, pois ilumina e, consequentemente, amplia o espaço. Se tiver uma paisagem interessante do lado de fora, o reflexo será ainda mais encantador", comenta a arquiteta Dieiny Kipper. Quanto a tamanhos, os maiores, como do piso até o teto, de corpo inteiro e da metade da parede para cima refletem mais luz. 

3. Prefira marcenaria sob medida 

A vantagem dos móveis planejados é que eles não desperdiçam nenhum canto ou centímetro de espaço. Na sala de jantar, por exemplo, em vez de cadeiras de loja, coloque um banco comprido, feito sob medida. A vantagem desse tipo de móvel é que ele permite acomodar mais gente à mesa, quando necessário. Além disso, móveis rasteiros, sem encosto alto, não atrapalham nem criam obstáculos no campo de visão. 

"A mesma regra serve para ilha de cozinha no estilo americano ou cozinhas com meia parede aberta, onde as pessoas colocam banquetas para sentar. Nesses casos, use peças sem encosto", comenta a arquiteta Laura Kim, que dá mais algumas dicas: 

"Em quarto de solteiro, a cama e a mesa de estudo podem ficar rentes às paredes, para deixar o centro de circulação livre. Já no quarto de casal, se for apertado e não tiver espaço para dois criados-mudos ao lado da cama, instale na parede uma arandela, que substitui o abajur ou uma prateleira pequena, de suporte".

4. Móveis multifuncionais 

Móveis com mais de uma função, além de economizarem espaço, são práticos. Se o apartamento tiver ambientes integrados, é possível apostar, por exemplo, em sofá que vira cama, armário de cozinha que também é guarda-roupas, banco de sentar que é baú ou pufe que funciona como mesinha de centro.

"O pufe, por exemplo, pode ser usado como mesa de centro, mesa lateral, local para apoiar as pernas enquanto se assiste TV e como um assento a mais acomodar as visitas", comenta a arquiteta Lízia Witzel.

Outro conselho da especialista é dar prioridade a móveis com design reto e que pareçam soltos do chão. Rack, sofá, aparador e cama com pés finos e altos não parecem tão pesados nos ambientes, que ficam mais leves e agradáveis com eles.

5. Controle-se na decoração 

Quando se trata de decoração de espaços pequenos, para evitar a poluição visual, menos é mais. Portanto, evite exceder na quantidade de quadros, enfeites, texturas, plantas e estampas. Se quiser arriscar, lembre-se antes de aplicar nas paredes uma cor de base neutra. 

"Se uma parede estiver cheia de informação, é melhor que a outra esteja mais vazia, para que o ambiente fique equilibrado e ganhe um 'respiro'. No caso de haver um móvel muito alto de um lado é melhor que do outro tenha um mais baixinho", sugere a arquiteta Laura Kim.

"Carregar na decoração traz uma sensação de que o ambiente é ainda menor e pode causar agitação e desconforto nas pessoas. É melhor escolher objetos especiais, que tenham significado para você", acrescenta a arquiteta Dieiny Kipper.

Fontes: Arquitetas Laura Kim, do escritório I.SE Arquitetura e Interiores, Dieiny Kipper e Lízia Witzel, sócias do escritório Arquitetas Online.