menu
Topo

Sexo


"Fui hipnotizada no sexo": elas relembram as melhores transas de 2018

iStock
2018 foi um ano de sucessos sexuais para essas mulheres Imagem: iStock

Talyta Vespa

Da Universa

28/12/2018 04h00

Elas garantem: na hora de relembrar os feitos de 2018, não dá para esquecer as conquistas sexuais. De orgasmos enlouquecedores a paixões à primeira vista, essas sete mulheres contam à Universa qual foi a transa do ano e por quê. 

"Fui hipnotizada durante o sexo"

"Conheci um homem em uma carona que consegui até uma balada em Campinas, no interior de São Paulo. A gente se paquerou, rolou um flerte, mas não fiquei com ele lá porque ele acabou bebendo demais. No dia seguinte, começamos a conversar. O papo esquentou e ele perguntou se eu já tinha experimentado hipnose durante o sexo. Ele disse que a prática intensificava todas as sensações. Fui até Itu, onde ele mora, começamos a ficar e transamos. No segundo round, durante as preliminares, ele pediu que eu olhasse para ele. Eu olhei e me senti em transe. Foi muito louco, parecia que meu orgasmo tinha durado 15 minutos. De repente, escutei a voz dele dizendo: "Vamos voltar?". Era como se eu tivesse acordado de um sonho. Foi o melhor sexo da minha vida, a sensação mais louca que já tive", Bruna*, 29 anos, social media.

"Transei com meu ex em uma rave"

"Passei um tempão me programando para conseguir ir a uma rave que rolou esse ano no interior de São Paulo. Tinha acabado de terminar um relacionamento de um ano e, no meio de mais de 50 mil pessoas, encontrei meu ex. Eu tinha ido de van coletiva e ele me ofereceu carona até minha casa. Quando a festa estava quase acabando, ele me beijou e meu mundo parou, nada mais importava. Parecia que éramos um só. Não deu outra: transamos muito no estacionamento da rave. Tivemos que parar porque as pessoas começaram a aparecer, já que a festa estava acabando. Ele me pediu em namoro e voltamos. O que senti por ele nesse dia foi enorme, tanto emocionalmente como sexualmente", Eduarda Azevedo, 19 anos, estudante. 

"Peguei meu professor da faculdade"

"Eu vi meu professor pela primeira vez há dois anos, quando ele lecionou a aula inaugural de um dos cursos da faculdade. Eu me encantei. Começamos a flertar desde então e, neste ano, a tensão sexual ficou incontrolável. No dia dos professores, mandei uma mensagem para ele pelo Messenger do Facebook e ele correspondeu, começou a me elogiar, e já percebi que ia rolar. Na semana seguinte, ele me ofereceu carona para casa depois da aula. Paramos em um posto, bebemos algumas cervejas e ele me beijou. Foi incrível. Transamos no carro, foi demais. Depois de duas semanas, fomos para o motel. Eu me realizei sexualmente", Luana*, 25 anos, produtora. 

"Fiz meu primeiro ménage"

"Por meio de um amigo em comum, conheci um cara por quem fiquei bastante interessada. Conversamos pelo WhatsApp por duas semanas e nos encontramos por acaso quando fui até um bar com uma amiga. Ele estava lá com outra garota. Pensei que não estava mais a fim e segui o baile. Na mesma noite, ele foi até mim e a gente ficou. Pouco depois, a moça que estava com ele também se aproximou e fiquei com ela. Em seguida, ficamos os três. Continuei saindo com ele, até que ele propôs que transássemos os três. Adorei a ideia. Fomos para o motel em uma sexta-feira à noite e foi sensacional. Minha química já era forte com ele --e com ela foi ainda melhor. O ménage superou todas as minhas expectativas", Fernanda*, 21 anos, estudante de engenharia.

"Tirei a virgindade do boy e gozei horrores"

"Comecei a ficar com um cara superquerido, bastante tímido, mas nem saquei que ele era virgem. Quando ele me contou, fiquei tensa, não sabia como tornar esse momento especial. Começamos a namorar e, depois de um mês, decidimos transar. Ele estava muito nervoso, eu fui cuidadosa, e ele nem conseguiu gozar de tão tenso que estava. Dormimos e, no dia seguinte, parti para cima. Ele estava tão à vontade que nem parecia que era inexperiente: transamos loucamente e eu tive vários orgasmos; dessa vez, ele também. Agora, ele quer sempre: está tirando os 23 anos de atraso", Ludimila Gomes, 23 anos

"Foi o melhor sexo da minha vida"

"Passando por uma galeria de arte africana, em Washington, conheci um ganês e foi paixão à primeira vista. Quando começamos a conversar, parecia que a gente se conhecia há anos. Compramos umas cervejas, ficamos batendo papo por horas e fomos para a casa dele. Ele morava com uma família africana com quem me dei superbem, me diverti muito. Quando transamos, foi surreal, parecia que eu estava saindo do meu corpo. Foi o melhor sexo da minha vida. Acabamos e ficamos abraçados em silêncio, ainda em transe. Não dava para descrever a sensação. Fiquei dois meses lá e passamos o tempo todo juntos. Infelizmente, acabou. Mas, até hoje, não senti nada parecido", Daniela Pires, 29 anos, dona de pousada.

"Recuperei minha vida sexual após dar à luz"

"Tenho um bebê de dez meses e me sentia muito cansada. A libido quase não existia mais. Minhas noites eram mal dormidas e eu me sentia a pior das mulheres porque não tinha vontade de transar. Fui ao médico com meu marido, perguntei se era normal a falta de apetite sexual, e ele disse que sim. Meu marido nunca me cobrou, sempre foi muito parceiro, mas eu me cobrava. Faz pouco tempo que consegui relaxar e a vontade voltou, conseguimos encontrar um tempinho para nos curtirmos. A parceria dele foi essencial e estamos começando uma nova fase como casal. Está tudo muito gostoso", Fernanda Martins, 36 anos, supervisora de vendas.

*Nomes trocados a pedido das entrevistadas