menu
Topo

Direitos da mulher


Coragem, luta, ousadia e recomeços: histórias de famosas que marcaram o ano

Debora Miranda

Colaboração à Universa

28/12/2018 04h00

O ano foi agitado para muitas famosas. O feminismo apareceu com força e diversas celebridades não titubearam ao se posicionar publicamente contra o machismo. Fernanda Lima foi uma delas, com um discurso cheio de ousadia no "Amor & Sexo". Cláudia Leitte também se manifestou depois de ouvir de Silvio Santos que ele estava excitado por causa de seu vestido. Além disso, Nanda Costa assumiu publicamente seu namoro com outra mulher.

Já Bruna Marquezine enfrentou críticas a seu trabalho, enquanto Anitta investiu pesado na carreira internacional. Na vida particular, uma das principais notícias do ano foi o nascimento da pequena Zoe, filha de Sabrina Sato e Duda Nagle.
 
Confira, abaixo, fatos que deram o que falar em 2018:

A invertida de Cláudia Leitte em Silvio Santos

TV Globo
Claudia Leitte Imagem: TV Globo

A cantora Cláudia Leitte passou por momentos de constrangimento ao se apresentar no Teleton (SBT), em novembro. Silvio Santos disse que não abraçaria a cantora, que usava um vestido rosa. "Esse negócio de ficar dando abraço me excita e eu não gosto de ficar excitado", disse o apresentador. "No sentido feliz da palavra, né? De alegria, euforia, excitação.", completou Claudia. "Não, não é euforia, não. É excitação mesmo", disse Silvio.

Desconcertada, a cantora usou sua rede social para repercutir o assunto dizer que se sentiu, sim, constrangida. "Quando passamos por episódios assim vemos em exemplificação o que acontece com muitas mulheres, todos os dias, em muitos lugares. Isso é desenfreado, cruel, nos fere e nos dá medo", afirma ela. "A provocação vem disfarçada de piada e as pessoas riem, porque acostumaram-se, parece normal!" Ela ainda destacou: "Definitivamente a culpa não é do que estamos usando. A culpa é dessa atitude constrangedora e de dois pesos e duas medidas. Somos livres".

Tanto ela quanto outras famosas, como Bruna Marquezine, Camila Pitanga e Taís Araújo, que saíram em defesa da cantora com a hashtag #mexeucomumamexeucomtodas, foram agredidas nas redes sociais por causa do ocorrido.

Silvio Santos já se envolveu em diversas polêmicas com comentários ofensivos a mulheres. Fernanda Lima e Gaby Amarantos foram algumas que fizeram questão de se posicionar publicamente contra ele.
 

A coragem de Fernanda Lima

Reprodução/TV Globo
Fernanda Lima Imagem: Reprodução/TV Globo

No comando de um programa ousado, inovador e crítico, Fernanda Lima sentiu na pele a intolerância da onda conservadora que assola o país. A audiência desta temporada do programa despencou, mas ainda não se sabe se o programa será cancelado ou se pode voltar ao ar. 
 
Ao falar de sexo e gênero, Fernanda Lima passou a ser atacada nas redes sociais. Um dos episódios de "Amor & Sexo" mais comentados foi o que ela fez um discurso falando sobre mulheres e que rapidamente viralizou na internet.
 
"Vamos sabotar a engrenagem desse sistema de opressão. Vamos sabotar a engrenagem desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino", citou Fernanda no editorial. 
 
O cantor sertanejo Eduardo Costa foi um dos que se sentiram afetados pela fala feminista da apresentadora. Na internet, ele a chamou de imbecil e questionou: "Será que essa senhora só faz programa para maconheiro, bandido, esquerdista derrotado e para projetos de artistas assim como ela?". Ele ainda citou Bolsonaro.
 
Depois, o cantor voltou atrás e se desculpou. Fernanda o está processando. 
 

O crânio de Luzia

Gregg Newton/Reuters
Luzia Imagem: Gregg Newton/Reuters

O maior tesouro do Museu Nacional, que foi atingido por um incêndio em setembro, era o esqueleto mais antigo já encontrado nas Américas, com cerca de 12 mil anos de idade. O crânio de Luzia e a reconstituição de sua face - revelando traços semelhantes aos de negros africanos e aborígines australianos - estavam em exibição no museu.
 
Um mês e meio após as chamas do incêndio destruírem 90% do acervo do museu, uma equipe de pesquisa encontrou o crânio e o fêmur de Luzia. O crânio estava fragmentado, tendo sido encontrados 80% de seus restos. A equipe ia tentar reconstituí-lo.

Achado em Lagoa Santa, em Minas Gerais, em 1974, trata-se de uma mulher que morreu entre os 20 e os 25 anos de idade e foi uma das primeiras habitantes do Brasil. A descoberta de Luzia mudou as principais teorias sobre o povoamento das Américas e é considerado o maior tesouro arqueológico do país. 
 

O drama de Nara Almeida

Reprodução/Instagram
Nara Almeida Imagem: Reprodução/Instagram

A modelo e influenciadora digital Nara Almeida emocionou o país com sua luta contra um câncer raro no estômago. Seu dia a dia foi dividido com quase 4 milhões de seguidores no Instagram, que acompanhavam suas mensagens de otimismo, seu tratamento, seus dias no hospital e seu sofrimento. Pouco menos de um ano depois, Nara morreu aos 24 anos, em maio, em São Paulo. 
 
Suas companhias mais frequentes eram a cachorrinha Lili, o namorado --o engenheiro Pedro Rocha-- e a família dele. Os dois se casaram em janeiro, para que ela pudesse usufruir dos benefícios de seu plano de saúde. A modelo conquistou seguidores famosos, como Adriane Galisteu, Lea T e Gabriela Pugliesi, que deixavam com frequência mensagens de apoio. O jogador Alexandre Pato ajudou a pagar seu tratamento.
 
Nara vivia longe da própria família, com quem tinha quase nenhum contato. Nascida em João Lisboa, no Maranhão, foi criada pelos avós. A mãe era empregada doméstica e foi tentar vida nova em Roraima. Na adolescência, Nara se mudou para Goiânia, onde passou fome e trabalhou como faxineira antes de começar a vender roupas pela internet. Viu o negócio crescer e decidiu se mudar para São Paulo. Foi no auge da carreira de influenciadora digital que a doença surgiu.
 
A mãe soube do câncer da filha pelo Instagram. Largou o emprego de cabeleireira, o marido e dois filhos e viajou de Roraima para São Paulo. "Deus me deu uma chance de me redimir", diz ela, que dormiu 90 noites no hospital e esteve com a jovem até sua morte. Hoje, mudou-se para São Paulo com a família e mantém o Ateliê Nara, loja de roupas no Brás. Mas não é bem-vista pelos seguidores da jovem, que a acusam de estar ganhando dinheiro às custas da filha.
 

O humor sem-vergonha de Tata Werneck

Reprodução/Multishow/TV UOL
Tatá Werneck Imagem: Reprodução/Multishow/TV UOL

Tata Werneck não tem limites --e esse é seu maior trunfo. No programa "Lady Night" (Multishow) ela simula um talk show, mas vai muito além. Tem convidados famosos, tem caneca, tem perguntas e respostas. Tem também conversa de duplo sentido, improviso e cantoria. 
 
Tatá não tem medo de fazer feio. Não tem medo de falar besteira. E assim consegue que seus entrevistados quase sempre embarquem no formato. E o público se diverte ao ver celebridades que na maior parte das vezes se levam a sério demais. 
 
O sucesso tem sido tão grande que "Lady Night" vai ganhar a TV aberta. A partir de janeiro, estreia na Globo em substituição ao "Conversa com Bial", que sai em férias.
 

Os altos e baixos de Bruna Marquezine

Reprodução/Instagram
Bruna Marquezine Imagem: Reprodução/Instagram

O início de 2018 já dava mostras de que seria um ano agitado para Bruna Marquezine. No Réveillon, que ela passou com amigos em Fernando de Noronha, Neymar apareceu propondo a reconciliação --que de fato aconteceu. Foram muitas fotos e declarações de amor. E a torcida do país todo para que o namoro durasse e o craque fosse bem na Copa do Mundo, ajudando o Brasil a ser campeão.
 
Logo em janeiro estreou na Globo "Deus Salve o Rei", trama em que Bruna interpretou a vilã Catarina. A performance da atriz foi considerada forçada e até "robótica" e acabou bastante criticada. A novela não foi bem e precisou passar por momentos de ajustes.
 
O relacionamento com Neymar se manteve, e Bruna chegou a fazer um bate e volta à Rússia para ver o namorado jogar. O esperado bom desempenho em campo, no entanto, não veio. Foi ela quem confirmou a separação, em outubro, e disse que a decisão havia partido do jogador. Havia comentários de que eles estariam tendo divergências políticas, o que ela negou.
 
Recentemente, Bruna fez um longo desabafo nas redes sociais por estar recebendo críticas com relação à sua forma física, considerada magra demais. Ela afirmou que gosta de seu corpo assim e que não está doente. Revelou, ainda, que já sofreu com depressão e com distúrbio de imagem e pediu que as pessoas não fizessem comentários sobre a forma física dos outros na internet, pois podem agravar esse tipo de problema.
 
Pouco antes do Natal, Bruna se mudou para sua casa nova. Comemorou junto de amigos e, no Natal, recebeu a família.
 

A ousadia de Leticia Colin

João Miguel Júnior/Globo
Letícia Colin Imagem: João Miguel Júnior/Globo

Leticia Colin animou os ânimos conservadores ao ser capa da edição de dezembro da revista Marie Claire com parte do seio exposto. A chamada de capa dizia "Meu corpo, minhas regras" e vinha acompanhada de uma frase da atriz: "Minha nudez não é um convite". 
 
"Nosso corpo deve ser um instrumento de nossas escolhas e desejos. Seios de mulheres não deveriam causar estranhamento. Por que homens podem andar sem camisa e nós não?", disse Leticia, em entrevista à publicação.
 
Uma das imagens do ensaio foi compartilhada nas redes sociais da revista e acabou retirada do Instagram, sob argumento de infringir as políticas de nudez da rede social. A publicação questionou a decisão do Instagram e, em um texto publicado na internet, a definiu como censura.
 
Durante as eleições presidenciais, Leticia se manifestou contra o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), usando a hashtag #EleNão e assinou o manifesto Democracia Sim. Após o resultado das eleições, grupos de seguidores de Bolsonaro divulgaram uma lista com nomes de artistas a serem boicotados, incluindo o dela.
 
A atriz brilhou neste ano também por seu trabalho na novela "Segundo Sol", da Globo, em que interpretou Rosa. A jovem era boa no início da história, mas entrou na galeria das vilãs da trama por conta de extorsão, exploração da prostituição e cumplicidade em crimes. Mas acabou ganhando uma chance de se redimir no final. 
 

A luta de Ana Furtado

Reprodução/Instagram
Ana Furtado Imagem: Reprodução/Instagram

"Estou aqui para abrir meu coração a todos vocês. Depois de um autoexame, seguido de uma mamografia, descobri um câncer de mama em estágio inicial." Assim a apresentadora Ana Furtado levou a público a notícia de sua doença, em maio.

Ela revelou que já havia passado por uma cirurgia para a retirada do tumor, mas que ainda teria que fazer quimioterapia. "Quero dizer que estou com muita fé, muita esperança e tenho muita coragem pra seguir adiante. Quero me solidarizar neste momento com todas as pessoas que estão passando pelo mesmo processo que estou passando. Deixo todo meu amor, meu carinho e minha força para todos vocês. Coragem!", prosseguiu Ana.

Durante o período de tratamento, a apresentadora do "É de Casa" usou as redes sociais para orientar seus seguidores com relação ao câncer, falou da importância do autoexame e passou mensagens de otimismo.

Em dezembro, Ana fez sua última sessão de radioterapia e comemorou a alta. Para 2019, ela já disse: "Meu projeto é ser feliz!".
 

O amor de Nanda Costa

Daniel Pinheiro/AgNews
Nanda Costa Imagem: Daniel Pinheiro/AgNews

A atriz Nanda Costa aproveitou o Dia dos Namorados para declarar seu amor na internet e revelou que sua atual namorada é uma mulher: a percussionista Lan Lanh. As duas, que estão juntas há quatro anos, estamparam a capa da revista Marie Claire e também foram ao programa "Conversa com Bial" para falar do relacionamento.

"Na verdade, até hoje não tenho certeza sobre o que sou, e tudo bem. Não quero me rotular, sou livre para amar. Porque é isso: namorei uma mulher. Aí depois me apaixonei por um cara. E agora? Como lidar com a expectativa alheia?", disse a atriz, que já havia apresentado a namorada à família.

Nanda  está cheia de planos para 2019. Começando por seu primeiro filme internacional, que ela divulgou recentemente: o filme "Monster Hunter", estrelado por Milla Jovovich. Além disso, em seu Instagram, ela citou a compra dos direitos do livro "O Ano em que Morri em Nova York", de Milly Lacombe, para adaptação, mas ainda não deu detalhes do projeto --que conta a história do fim do casamento de dez anos da jornalista com sua mulher.
 

Anitta internacional

Reprodução/Instagram/@anitta
Anitta Imagem: Reprodução/Instagram/@anitta

Com um hit atrás do do outro no Brasil, a cantora Anitta decidiu que investiria pesado, em 2018, em sua carreira internacional. Desenvolveu estratégias de atuação e entrou no mercado com o pé na porta. O primeiro passo foi estabelecer parcerias internacionais. Cantou lado a lado com nomes da música americana e latina, como Iggy Azalea, Maluma, J Balvin, Major Lazer, Poo Bear e Alesso, entre outros.

Lançou o projeto "Check Mate", que incluia o lançamento de uma série de videoclipes com superproduções. Vieram "Sua Cara", "Will I See You", "Is That For Me", "Downtown" e "Vai Malandra". A cantora foi a primeira brasileira a entrar no top global do Spotify.

No início de novembro, Anitta lançou  EP "Solo", em que canta em inglês e espanhol. O projeto chegou simultaneamente com os clipes de "Não Perco Meu Tempo", "Veneno" e "Goals" --que contou com a participação do conceituado produtor e cantor americano Pharrell Williams. 

Sobre o nome do projeto, ela explicou: "É porque sou eu comigo mesma. E também porque estou solteira". A cantora anunciou em setembro o fim do casamento com Thiago Magalhães.
 

A deusa Elza Soares

Divulgação/TV Cultura
Elza Soares Imagem: Divulgação/TV Cultura

Aos 87 anos, a cantora Elza Soares está mais ativa do que nunca. Lançou neste ano o álbum "Deus É Mulher", que conquistou a crítica e teve grande sucesso junto ao público. Filha de uma lavadeira e de um operário, Elza lembra a infância em uma favela carioca e afirma: "Deus tem de ser mulher e mãe".

O disco chegou ao mercado depois do igualmente bem-sucedido e aclamado "A Mulher do Fim do Mundo", de 2015. São 11 canções inéditas em que Elza canta temas que considera importantes e que estão sendo calados, como o ensino da cultura afrobrasileira nas salas de aula e o direito de se manifestar. 

No álbum ela também conta com o trabalho de mais mulheres nos bastidores, como instrumentistas e compositoras.
A história de vida da artista também virou um musical, chamado "Elza". Sete atrizes se alternam no papel da cantora e de outras pessoas que passaram por sua vida. 
 

O parto de Sabrina

Reprodução/Instagram
Sabrina Sato com Zoe Imagem: Reprodução/Instagram

Depois de tanto sonhar com a maternidade, Sabrina Sato deu à luz Zoe, no dia 29 de novembro. A apresentadora --que enfrentou problemas no início da gravidez e precisou ficar de repouso-- tinha se preparado para o parto "mais natural possível", segundo ela mesma definiu, mas não foi possível. Após mais de 24 horas de bolsa rompida e 20 horas de trabalho de parto, a bebê veio ao mundo por meio de uma cesárea humanizada.

"Zoe esteve todo o tempo muito bem e nasceu com muita saúde. Minha filha, em meio a tanta emoção, me fez compreender que ela é quem escolheria a forma como viria ao mundo", escreveu a apresentadora em sua rede social. Zoe nasceu após 41 semanas de gestação, com 3,360 kg.

Sabrina tem se mantido em casa, em seu novo apartamento, sempre cercada pelo marido, Duda Nagle, e pela família. Mas já tem compromissos para 2019: está confirmada sua participação no Carnaval, em São Paulo pela Gaviões da Fiel e no Rio pela Vila Isabel.