menu
Topo

Sexo


10 dicas de preliminares específicas para o sexo anal

Getty Images
Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

27/12/2018 04h00

O ânus pode ser uma fonte imensa de prazer. Ao contrário do que pregam os vídeos pornôs, porém, a penetração precisa acontecer com cuidado e requer uma série de preparativos prévios. As preliminares para o sexo o anal são imprescindíveis para tornar o momento mais relaxante e gostoso --isso porque a área conta com dois esfíncteres que, com estimulação, relaxam e deixam a introdução do pênis mais fácil. Eis algumas ideias bem quentes:

1. Primeiro, faça sozinha. Isso mesmo: seja você uma praticante amadora ou uma expert, vale a pena, durante a masturbação, apostar também nos estímulos anais. Se você não curte vibradores próprios para a região, use um bullet para brincar na área em torno do ânus e preste muita atenção nas sensações que vivencia. Já as experientes têm à disposição sex toys de todos os tipos, inclusive para dupla penetração (no ânus e na vagina).

2. Toda a região merece ser explorada. A parede entre o ânus e o canal vaginal é muito fina, ou seja, é possível estimular pontos sensíveis da vagina através do ânus. Para isso dar certo, o cara não pode ir direto para a penetração, não. O ideal é "seduzir" o ânus primeiro, brincando com o dedo. No início, ele deve ficar só em volta, na bordinha, fazendo movimentos circulares em toques leves para fazer um "reconhecimento" da área.

3. Lubrificação é tudo. Diferentemente da vagina, o ânus não tem lubrificação natural. Então, mais do que necessário, um bom lubrificante à base de água é obrigatório, inclusive para o dedo deslizar melhor.

4. A pontinha do dedo entra primeiro. Mesmo quando a mulher está relaxada e excitada, o dedo do parceiro precisa entrar com cuidado durante a sessão das carícias. Ele deve primeiro introduzir só a pontinha --o primeiro esfíncter vai contrair e, logo em seguida, relaxar. Tudo isso com muito cuidado, pois o reto, ao contrário do que o nome diz, na verdade, é curvo. Movimentos bruscos podem assustar. Devagarinho, o homem pode fazer pressão para baixo, depois para cima e, por fim, para os lados. É um exercício, inclusive, que pode ser feito diariamente: a cada dia, o dedo entrará com mais e mais facilidade.

5. Beijo grego é aposta certa. Carinhos com a língua em torno do ânus (ou até dentro dele) são outra maneira de a mulher ficar mais relaxada e pronta para a penetração. Géis de massagem comestíveis dão um sabor especial à experiência.

6. Ioga anal ajuda a descontrair. E é bem simples de praticar: a mulher fica de quatro, com as pernas abertas, e o parceiro coloca uma mão em cada nádega e começar a fazer movimentos de massagem para relaxar a musculatura. O ideal é que ele "abra" as nádegas e comece com os dois dedões, um para cada lado, esticando o ânus como se fosse abri-lo. Ao respirar fundo e sentir o seu ânus se "mexer" em praticamente todos os ângulos, a mulher vai relaxando os esfíncteres aos poucos, o que contribui para a penetração ser mais fácil.

7. Use e abuse dos sex toys. As pérolas anais, vendidas em sex shops, são o brinquedo erótico mais indicado para aquecer as preliminares e preparar a região para a transa. Elas ajudam a relaxar o esfíncter, tanto ao colocá-las como ao retirá-las, proporcionando uma sensação gostosa. Outra boa pedida são os já citados bullets, que podem ser manuseados pelo par, além de plugues e massageadores.

8. Que tal um estímulo extra? Dedilhar o clitóris, apertar os bicos dos seios, passar os dedos pela vagina... Qualquer carícia adicional, feita por você mesma ou pelo parceiro, ajuda a manter a excitação num nível elevado, ampliando as sensações do ânus.

9. Tente na água. Seja sob o chuveiro ou na banheira, curtir as preliminares antes do sexo anal na água --que já tem uma função relaxante-- podem tornar a sessão mais gostosa. Principalmente, se você tiver à mão lubrificantes ou sabonetes líquidos com efeito sensual ou bullets à prova d'água.

10. Camisinha é fundamental. Ao penetrar o reto, o pênis pode entrar em contato com resquícios de fezes que podem entrar pela uretra, causando infecções. A camisinha é uma proteção imprescindível --além de prevenir contra outras doenças e a contaminação pelo HIV. Camisinha, capas penianas e brinquedinhos não devem --jamais, sob hipótese alguma!-- sair do ânus e depois entrar direto na vagina. As bactérias dessas regiões são diferentes e, portanto, há o risco de ocorrer uma contaminação cruzada, provocando infecções.

FONTE: Tatiana Presser, psicóloga, sexóloga e autora do livro "Vem transar comigo" (Ed. Rocco)