menu
Topo

Pausa

Pare, respire e olhe o mundo ao redor


Estes presentes de Natal são tão ruins que você vai curtir se ganhar meias

Natália Eiras

Da Universa

24/12/2018 04h00

A troca de presentes no Natal pode deixar marcas para a vida toda. E um presente ruim pode ser mais marcante do que você imagina. Mas, depois do chororô, o que fica é a história engraçada. A Universa reuniu relatos de pessoas que ganharam presentes nada legais. Escova de dente, cueca usada e foto autografada são algumas das lembrancinhas que rendem algumas risadas. Veja: 

Reprodução/Pinterest
"Ganhei só o bebê da Barbie grávida" Imagem: Reprodução/Pinterest

Bebê sem Barbie

"No amigo secreto da escola, ganhei o bebê que vinha dentro da barriga da Barbie grávida. Sem a Barbie, só o bebê. E nem embrulhado estava. Acho que a menina esqueceu da revelação do amigo secreto e pegou o bebê da Barbie dela, porque a revelação foi no mesmo dia de levar brinquedo para a escola. Eu comecei a chorar de frustração, mas, para disfarçar, fingi que eram lágrimas de emoção, dizendo que sempre quis aquele bebê."
Ana Luiza Rebellato, 29, empresária, de Blumenau (SC)

Foto autografada

"Ganhei um quadro com uma foto do meu pai num enduro [corrida de moto] e um autógrafo em caneta dourada. Eu tinha uns 7 anos."
Carolina Fernandes, 40, relações públicas, de São Paulo (SP)

via GIPHY

'Bichinho de herói'

"Meu pior presente foi uma escova de dente do Superman. Eu tinha umas 15 anos, minha avó viu no mercado e, como eu gostava desses 'bichinhos de super herói', como ela disse, comprou para mim. As cerdas da escova eram menores que meu dente."
Ronaldo Luiz da Fonseca, 29, analista de estratégias de marketing, de São Paulo (SP)

Cinto com outra letra

"No Natal de 1982, ganhei um cinto do meu noivo da época. Porém, a letra que estava gravada na fivela era um D, mas meu nome começa com R. O noivo disse que não tinha achado um cinto com a letra do meu nome. Tempos depois, já casada, descobri que o cinto foi comprado pelo irmão dele, que se chamava Donizete, e, ao perceber que era feminino, deu para o meu noivo, que repassou para mim." 
Rosa Faria, 57, babá, de São Bernardo do Campo (SP)

'PIERY'

"Uma toalha de rosto com o meu nome bordado errado: PIERY. Na hora eu não me aguentei e falei: 'você sabe que esse não é o meu nome, né?' Mas a pessoa achou que eu estava brincando?"
Pierre Míchel, 26, publicitário, de Curitiba (PR)

via GIPHY

Cueca de segunda mão

"Ganhei do meu pai três cuecas usadas. É que estava rolando um processo dele para deixar de pagar pensão para mim, que tinha 19 anos e estava na faculdade, e para o meu irmão, e queria que devolvêssemos o dinheiro gasto com a gente até então."
Leandro Luis, 27, designer gráfico, de São Paulo (SP)

Bolsa anos 90

"Ganhei em um Natal uma bolsa de crochê rosa com lacre de latinha de refrigerante"
Danyelle Toniato, 25, publicitário, de Vila Velha (ES)

via GIPHY

Brinde 

"Eu tinha uns 13, 14 anos e ganhei um relógio de bolso do meu avô. Ele amava participar de promoções de jornal/revista, que você junta selos e troca por alguma coisa. O prazer dele é só esse, porque ele sempre dá o brinde para alguém. Já ganhei até caneta tinteiro". 
Isabela Varanda de Lemos, 24, jornalista, Rio de Janeiro (RJ)

Vidro meio cheio

"Ganhei um perfume usado. Veio embrulhadinho e nem tinha um cheiro ruim, mas o frasco estava pela metade"
Paula Oliveira, 25, publicitária, de São Paulo (SP)
 

via GIPHY

Mais Pausa