menu
Topo

Violência contra a mulher


Ana Furtado afirma ter pensado em buscar João de Deus em luta contra câncer

Reprodução/Instagram
Ana Furtado lutou contra um câncer de mama neste ano Imagem: Reprodução/Instagram

Da Universa

22/12/2018 17h55

A apresentadora Ana Furtado compartilhou sua decepção com o médium João de Deus, acusado de abuso sexual por mais de 300 mulheres, na manhã deste sábado (22). No programa É de Casa, da TV Globo, Ana relevou que pensou em se consultar com o guru enquanto lutava contra um câncer de mama, neste ano.

"Eu chorei quando as denúncias começaram a aparecer. Todas as pessoas que vão em busca dele vão em busca disso, de um alento, da cura. Eu própria, eu te confesso, depois de tudo que passei esse ano eu quis ir no João de Deus, estava me programando para ir no ano que vem", disse ela ao apresentador André Marques, que lidera o programa ao lado dela.

Promotores do MP-GO (Ministério Público de Goiás) afirmaram nesta sexta-feira (21) que, apesar de terem recebido 596 relatos pelo e-mail criado para receber denúncias de possíveis vítimas do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, apenas pouco menos da metade (255) foram considerados como possíveis casos a serem apurados. Desse número, 44% já teriam prescrito.

O MP-GO informou ainda que os 255 casos dizem respeito a crianças, adolescentes e mulheres com idades de 9 a 67 anos. 

"Ter mais de 590 mensagens não quer dizer que haja 590 vítimas. Nós apuramos o conteúdo dessas mensagens e hoje o patamar de supostas vítimas, de potenciais vítimas é de 255", afirmou o promotor Luciano Meireles.

Dessas 255, 75 mulheres já tiverem seus depoimentos colhidos oficialmente em diferentes estados brasileiros. As oitivas continuam apesar do recesso do Ministério Público. O próprio João de Deus deve ser ouvido pelos promotores na semana que vem.

Preso desde o último domingo (16), ele nega as acusações. Os advogados dizem que o encarceramento do médium é um "constrangimento ilegal". Idade, saúde e "credibilidade" da Justiça são alguns dos argumentos usados pela defesa para tentar tirá-lo da prisão. O médium já teve um pedido de liberdade negado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) e agora o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, analisa novo recurso da defesa.