menu
Topo

Mães e filhos

Sabrina Sato exagerou? Saiba se condições para visitar Zoe têm fundamento

Reprodução/Instagram
Sabrina Sato e Duda Nagle deixam a maternidade com Zoe Imagem: Reprodução/Instagram

Luiza Souto

Da Universa

05/12/2018 04h00

Sabrina Sato colocou na maternidade uma lista de recomendações para quem queria visitar sua filha com Duda Nagle. As recomendações foram tachadas de "mimimi" a "frescura" por muitos, mas estavam dentro das normas, conforme explica a pediatra Lilian dos Santos Rodrigues Sadeck, vice-presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Veja também

Entre as orientações estavam lavar bem as mãos e não fumar antes de encontrar o bebê, dicas dadas pelos próprios médicos. Afinal, explica Lilian, o recém-nascido está numa situação de maior vulnerabilidade, e não dá para chegar perto com cheiro forte que pode prejudicar as vias respiratórias. 

Reprodução/YouTube
Sabrina Sato faz recomendações para visita à Zoe, sua primeira filha com Duda Nagle Imagem: Reprodução/YouTube

"São orientações de boa conduta, e muita coisa dessa lista já está escrita em vários lugares. São normas de hospitais que diminuem a exposição dos bebês a vírus e bactérias. Só é preciso ter cuidado para não se tornar uma neura, e querer deixar a criança numa bolha. O excesso é sempre ruim", atenta Lilian.

A pedido da Universa, a especialista comentou cada tópico da lista que ficava em uma placa no quarto da maternidade, ao lado de alguns objetos como máscaras e protetores de sapato.

"Coloque esse protetor de sapato"

A pediatra explica que não precisa usar um protetor, mesmo em casa. Segundo ela, o material só é usado em centro cirúrgico, ou quando a criança tem algum problema grave, mas recomenda: "Quando a criança começa a engatinhar, seria interessante usar, porque ela vai ter contato com o que o sapato leva da rua". Se o hábito da casa é andar descalço, não seria necessário.

"Vista a máscara"

A máscara é importante se a visita estiver gripada. "Nesse caso, nem deveria visitar, porque o recém-nascido está mais suscetível a doenças. Mas, no geral, não precisa usar a máscara", atenta a especialista.

"Lave as mãos e braços e passe álcool em gel"

Isso é útil para qualquer ocasião. Lavar bem a mão é suficiente, mas traz uma segurança maior quando se passa o álcool gel.

"Não use perfume e não fume antes de me visitar, meu narizinho ainda é muito sensível"

O ideal é não fumar nunca, recomenda a médica, mas o cheiro que fica na roupa e no cabelo pode irritar a criança, atrapalhar a via respiratória. Quanto ao perfume, se não for forte, pode passar um pouco. 

"Não espirre e não tussa aqui dentro"

Novamente, Lilian recomenda: se estiver nesse quadro de gripe, melhor evitar a visita.

"Se eu estiver dormindo, não me acorde"

Quando a criança não está sendo amamentada, está dormindo, e esse é o momento não só de seu descanso como também do da mãe. Portanto, é recomendável não ficar brincando com ela, como se fosse um brinquedo, para a família ter um ambiente tranquilo e confortável.

"Não pegue na minha mãozinha, pois eu posso levá-la à minha boca"

Se a visita lavou bem a mão e passou o álcool, a especialista garante que ela pode pegar, sim, na criança. Mas como a mãe não vai ter certeza de que a mão da visita está limpa, para quê estressá-la com esse tipo de preocupação? "Bebê não é boneca para ficar mexendo", alerta Lilian. O ideal é respeitar a individualidade do recém-nascido. 

"Já escutamos tantos palpites, que a mamãe e o papai já estão feras! Não precisa, tá?"

A barriga da gestante parece que é terra de ninguém, porque todo mundo quer colocar a mão. Com o bebê, é parecido, opina a pediatra. A mãe e o pai, quando têm dúvidas, procuram seu médico. As pessoas querem ajudar mas não percebe que piora, porque estressa a mãe e, consequentemente, o bebê. 

"Mamãe está muito cansadinha, então vamos combinar só 20 minutinhos de visita"

A mãe, alerta Lilian, está passando por diversas situações como cansaço, dor, e ainda tentando amamentar. Ela está se ajustando a todas as mudanças na cabeça e no corpo, então é um direito dela escolher o tempo da visita, e há pessoas sem nenhuma noção disso. 

"Sem fotos"

O flash faz mal para os olhos do bebê, ainda muito frágeis. Sem flash, não tem problema para a saúde. Mas é uma opção dos pais querer que o filho seja fotografado ou não.

"E os beijinhos vão ficar só por aqui"

A pele do bebê, logo depois que nasce, é muito fina e sensível. Encostar o rosto pode irritar e é melhor evitar.