menu
Topo

Autoestima

5 dicas para deixar de se preocupar com o que pensam de você

evgenyatamanenko/iStock
Terapeuta dá dicas para se livrar de busca pela aceitação Imagem: evgenyatamanenko/iStock

Da Universa

05/12/2018 04h00

Se preocupar com o que os outros vão pensar é uma das principais armadilhas para sabotar a si mesmo!

Conversamos com a terapeuta, psicóloga, psicodramatista e terapeuta familiar Marina Vasconcellos, para entender um pouco mais sobre essa balança do que somos e do que esperam de nós. Veja cinco dicas curtas para deixar você mais leve.

Veja também

Você nunca vai agradar todo mundo!

É impossível agradar todo mundo. As pessoas são diferentes! Se ficarmos pensando nos outros, se estamos agradando ou não, nunca vamos nos satisfazer e ficaremos eternamente preocupados, ansiosos, sem viver o hoje.

Ah, então vou agradar só a mim mesmo!

Se pensar só em você, você pode se tornar uma pessoa egoísta. É preciso se colocar em primeiro lugar, mas há momentos na vida em que é importante abrir mão de algo pelos outros. A medida se encontra usando o bom senso. Agradar a si é se respeitar. Sempre que falamos não para outra pessoa, falamos sim para nós mesmos. Às vezes você precisa falar não para você e sim para os outros.

Confiança em você mesmo!

Quando você perde o medo de não agradar, fica mais confiante! Ganha a liberdade ser espontâneo, sem se preocupar em usar uma máscara. Se a pessoa está segura consigo mesma, relaxa e consegue viver a vida de maneira mais plena, sem se preocupar com os outros.

Quem paga os meus boletos?

Essa expressão é um jeito de falar para os outros que você é responsável pela sua vida. Se o outro não tem responsabilidades sobre as suas coisas, você tem. O seu bem-estar depende do quanto você está autoconfiante, do quanto a sua autoestima está elevada. Se você está seguro, saberá a hora de dizer sim ou não. Vai saber impor limites.

Quem agrada todo mundo acaba desagradando a si mesmo!

É impossível agradar gregos e troianos! Essa frase é antiga e muito verdadeira. Você precisa agradar os outros em momentos de interesse mútuo. Na maior parte do tempo, não precisa se preocupar se está agradando ou não.