menu
Topo

Mães e filhos

Matilda da vida real: professora adota aluno que foi rejeitado por família

Arquivo Pessoal/Lourdes Lopes
Professora Lourdes Lopes e o aluno, Scott, que hoje é seu filho Imagem: Arquivo Pessoal/Lourdes Lopes

Da Universa

01/12/2018 11h37

Como no filme Matilda (1997), a professora americana Lourdes Lopez, de 43 anos, adotou o próprio aluno, o pequeno Scott White, de 12 anos. Segundo o portal de notícias britânico Metro, ela conheceu o menino quando ele se juntou à turma da quinta série do Miami Heights  Elementary, em setembro de 2017.

Scott foi adotado por uma família em 2016, mas devolvido ao orfanato, onde estava há três anos. Quando descobriu que a adoção não vingou, a professora ficou de coração partido e conversou com o marido para tentar descobrir uma forma de ajudar o aluno. Lourdes sempre teve um carinho especial por Scott, que foi separado dos quatro irmãos depois de terem sido tirados da mãe biológica quando ele tinha cinco anos.

Veja também:

Antes de preparar o processo de adoção, Lourdes conversou com os dois filhos, Adrian, de dez anos, e George, de 14. Todos reagiram positivamente à possível chegada de um novo membro à família. Scott chegou em agosto de 2018 e o processo adotivo será finalizado no próximo dia 10. “Tem sido maravilhoso. Ele se dá muito bem com meus filhos. Eles brigam, como todos os irmãos, mas se dão muito bem. Quando começou a escola, Scott só tirava notas baixas. Agora, ele entrega as melhores notas sempre. Perdeu peso, está mais sociável, gosta de futebol. Era para ser assim, não imagino minha família sem ele”, diz a professora.

A cerimônia de adoção vai acontecer no dia 19 de dezembro. “Quando soube que a segunda família interessada não quis adotar Scott, foi devastador”, conta. O responsável pelo caso do menino ajudou na realização do processo e, quando ele descobriu quem seria sua nova mãe, ficou muito animado. “Scott me abraçou muito forte. Aquele dia foi perfeito. Começamos as visitas semanais, que se transformavam em pernoites. Depois que se mudou para a nossa casa, se tornou uma criança mais feliz. Eu sempre soube que ele era especial. Meus outros alunos sempre brincavam que eu amava mais o Scott”.