menu
Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


"Qualquer um que não seja feminista é machista", afirma Dua Lipa

Reprodução/Instagram
Dua Lipa Imagem: Reprodução/Instagram

Da Universa

29/11/2018 16h50

2018 foi o ano de Dua Lipa. É o que afirma a revista “Variety”, uma das maiores no ramo cinematográfico no mundo.

Em reportagem especial, a publicação elegeu a cantora britânica, de 23 anos, como o maior destaque desse ano e a convidou para uma entrevista em que, entre os demais assuntos abordados, a estrela fala sobre seu posicionamento político e o machismo no universo musical.

Veja também

Conhecida por retratar relacionamentos tóxicos, como nas músicas “New Rules” e “IDGAF”, seus grandes sucessos, Dua reforçou como a mulher nessa indústria precisa se esforçar muito mais do que os homens para conquistar seu espaço e, consequentemente, fama.

“Na indústria da música, é preciso muito trabalho para chegar onde você está. As mulheres têm que lutar muito mais por isso do que os homens. Eu sou definitivamente uma feminista – e qualquer um que não seja feminista é machista”, opinou.

A cantora fala ainda sobre como quando um homem canta sobre amor, ele é “coitadinho”, já a mulher é sempre vista como “vadia”.

“A misoginia pode ser tão profunda. No segundo que um cara canta, ‘estou com o coração partido’, todo mundo fica ‘tadinho’. Por outro lado, uma garota diz algo que dá poder ou ‘eu nem me importo mais com essa pessoa’, e falam que ‘você é uma vadia’. Espero que isso mude”, afirma, citando Taylor Swift como uma de suas referências.

Mais Transforma