menu
Topo

Diversidade

Erika Januza quer incentivar pessoas a denunciarem o racismo como ela fez

Reprodução/Instagram
Erika Januza Imagem: Reprodução/Instagram

da Universa, em São Paulo

25/11/2018 10h04

Alvo de ataques racistas tanto nas redes sociais quanto por meio de seu e-mail pessoal recentemente, a atriz Erika Januza abriu o jogo sobre ter decidido prestar queixa a respeito das agressões compartilhadas por ela no Instagram no dia 29 de outubro.

Agora, no entanto, ela quer incentivar outras pessoas a também procurarem a polícia em situações como esta.

Veja também

Segundo Erika, não houve facilidades para ela apenas por ser famosa.

"Acho que falar e mostrar que fiz a denúncia ajuda os outros a enxergarem que é possível. Muita gente acha que é mais fácil para os famosos. Mas o crime é o mesmo para todos. A delegacia está aberta a qualquer cidadão", opinou à colunista Patrícia Kogut, da edição de domingo (25) do jornal "O Globo".

A atriz ainda fez um apelo. "Peço que as pessoas tenham coragem e denunciem. Quem tem que temer é aquele que comete o crime", acredita.

No dia 30, Erika revelou ao UOL que havia decidido tomar medidas legais a respeito do caso. 

"Todo mundo que passa por isso tem que tomar atitudes, mostrar para as pessoas que elas não podem fazer o que bem entender, que elas não podem ofender os outros nem desrespeitar, porque racismo é crime. A partir do momento que todos fizerem alguma coisa, as pessoas vão entender que não podem fazer isso", disse.

Na data, ela ainda explicou que o perfil responsável pelas primeiras agressões havia sido hackeado e roubado de outra usuária. No entanto, as ofensas se seguiram:

"Já vinha lendo ofensas nas redes sociais e, de umas três semanas para cá, passei a receber também por e-mail. Já foram uns 20, de remetentes diferentes, mas que, pelo teor, parecem vir da mesma pessoa. Juntei tudo e levei à delegacia. Fui muito bem atendida pelos policiais e também estou contando com a ajuda de um advogado, que irá acompanhar o processo para mim", esclareceu ainda à colunista da publicação.

"Meu desejo é encontrar os responsáveis e mostrar que eles que não podem se esconder atrás de nomes falsos na internet", concluiu.