menu
Topo

Diversidade

Jogue com personagens LGBT. Conheça 10 games que apostam na diversidade

Léo Marques

Colaboração para Universa

21/11/2018 04h00

Para combater a LGBTfobia, até as empresas desenvolvedoras de games têm demonstrado apoio - e antena para o que pode ser um bom negócio.

Nos últimos anos é crescente o número de personagens e histórias que fogem do padrão heteronormativo e reforçam a importância da inclusão. Veja alguns exemplos a seguir: 

Veja também

Homem-Aranha PS4

Divulgação
Imagem: Divulgação

Lançado em setembro de 2018, o game Homem-Aranha, para PlayStation 4, da Marvel, explora em seus cenários um dos símbolos mais emblemáticos do orgulho LGBT, a bandeira arco-íris. Além de várias delas, que são vistas por toda a cidade do herói, o jogador também encontra um muro pintado com suas cores. A novidade, que inclui a possibilidade de o próprio Homem-Aranha tirar selfies nesses lugares, tem sido compartilhada nas redes sociais do mundo todo.

Smite

Divulgação
Imagem: Divulgação

Após um dos piores tiroteios ocorridos nos Estados Unidos, o da boate LGBT Pulse, na Flórida, em 2016, os desenvolvedores desse game com temática mitológica resolveram prestar uma homenagem a toda a comunidade atingida pela homofobia. A maneira que encontraram foi criar ícones da bandeira LGBT para o perfil dos jogadores, além de propor uma atualização de aparência de alguns personagens, que ficaram bem representativos. 

inFamous: Second Son

Divulgação
Imagem: Divulgação

Este jogo de ação e aventura tem como protagonista um jovem com superpoderes e que pode ser manipulado para o bem ou para o mal, segundo a vontade do jogador. Suas missões se concentram na cidade americana de Seattle, onde também se destaca um prédio decorado com bandeiras do orgulho LGBT. Já em outra construção, há um grande cartaz colorido onde se lê: "Todos são bem-vindos em Seattle, uma cidade com boas intenções", em Português. 

Watch Dogs 2

Divulgação
Imagem: Divulgação

A continuação do game original foi lançada em 2016 e se passa na cidade de São Francisco, conhecida mundialmente por ser um grande reduto LGBT. Não à toa, o jogador encontra pelo caminho bandeiras e até faixas de pedestre com as cores do arco-íris. Se quiser ir mais além, pode ainda vestir o protagonista do jogo a caráter e até fazê-lo cruzar por boates gays e personagens trans. 

Sea of Thieves

Divulgação
Imagem: Divulgação

Em junho, mês do orgulho LGBT, os idealizadores de Sea of Thieves, que se desenvolve no universo dos piratas, possibilitaram aos jogadores personalizarem suas próprias embarcações usando como ferramenta a bandeira arco-íris, que podia ser hasteada nos mastros. Se não bastasse isso, a Rare, empresa responsável pelo jogo, ainda doou todo o lucro que faturou com a venda de uma camiseta de caveira nas cores da bandeira para uma entidade pró-LGBT.

Grand Theft Auto V: Los Santos Pride

Divulgação
Imagem: Divulgação

Uma versão inclusiva desse jogo foi criada pelo grupo Stockholm Pride Organization, que luta em defesa do orgulho LGBT. Quem até então estava acostumado com a atmosfera criminal do original se surpreendeu com "Los Santos Pride", um modo não-oficial que habilita dentro do game um evento de parada gay. Nem mesmo os personagens mais durões escaparam de subir em trios elétricos para dançar e de usarem camisetas com inscrições de hits da Lady Gaga. 

Mass Effect: Andromeda

Divulgação
Imagem: Divulgação

Em 2017, uma atualização feita neste jogo espacial possibilitou a criação de uma categoria de romance gay para protagonistas masculinos e de quebra agregou diversidade na criação dos personagens. São duas opções de cabeça, uma masculina e outra feminina, além de novas possibilidades de tons de pele e de estilos de cabelo, que podem ser compartilhados para ambos os sexos. O jogo traz ainda personagens gays, lésbicas, bissexuais e pansexuais. 

Assassin's Creed Syndicate

Divulgação
Imagem: Divulgação

O nono jogo da série Assassin's Creed conta a história de dois gêmeos da era Vitoriana que lutam para restabelecer uma ordem secreta de cavaleiros. Um deles, Jacob Frye, teve sua bissexualidade confirmada primeiro por um roteirista do jogo e depois pelo próprio Tumblr oficial da franquia, que admitiu sua orientação sexual. O jogo também tem um personagem de menor destaque chamado Ned Wynert, que é um homem de negócios transgênero.

Mortal Kombat X

Divulgação
Imagem: Divulgação

Sequência da histórica franquia de luta, o game tem um personagem gay, que, embora não se revele muito, teve sua sexualidade confirmada por um dos diretores da empresa criadora do jogo. O personagem em questão é Kung Jin, arqueiro que insinua sua orientação sexual em uma conversa com Raiden, o Deus do Trovão e personagem do original Mortal Kombat dos anos 90. No diálogo, Kung Jin revela ter medo de não ser aceito em seu clã por ser como é. 

Tales From The Borderlands

Divulgação
Imagem: Divulgação

Nesse jogo de aventura de 2014 é mostrado que uma de suas personagens centrais, a assassina Athena, mantém um relacionamento homossexual com a mecânica Janey Springs. No game antecessor já era notório que as duas eram lésbicas e se paqueravam, mas nesse, o destaque para a vida pessoal das duas é tão maior que, caso seja do interesse do jogador, é possível selecionar cenas em que as duas se beijam e até se referem como namoradas. 

Fontes: Sites Insomniac Games; smitegame.com; seaofthieves.com; playstation.com/pt; Ubisoft; seaofthieves.com; Stockholm Pride Organization; masseffect.com; mortalkombat.com; e telltale.com.