menu
Topo

Sexo

Criar personagens na cama pode levar sexo a um outro nível (mais gostoso)

Getty Images
As fantasias são uma espécie de "cereja do bolo" da vida sexual Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

16/11/2018 04h00

As fantasias sexuais são uma espécie de "cereja do bolo" da vida sexual. Independentemente de seu conteúdo e se saem ou não do campo da imaginação, elas permitem que as pessoas vivenciem novas experiências e sintam sensações diferentes. A invenção de personagens, em especial, pode ampliar o prazer e fazer com que os envolvidos aproveitem muito mais o sexo.

Para começar, fingir que são outras pessoas, assumir papéis diferentes na cama ou literalmente se fantasiar com peças sensuais e adereços para essas brincadeiras pode ajudar o casal a interagir de forma diferente durante a transa.

Veja também

"Ao incorporar determinados personagens, os dois criam uma espécie de 'alter ego' que os autoriza a se relacionarem de uma forma distinta da maneira com que costuma interagir", comenta a psicóloga e sexóloga Tatiana Presser, autora do livro “Vem Transar Comigo” (Ed. Rocco).

"Na 'pele' de outras pessoas, é possível criar coisas diferentes com mais liberdade e dar vazão aos desejos mais íntimos ao mesmo tempo em que a verdadeira personalidade fica resguardada", completa.

Para a coach sexual Juliana Baltazar, de São Paulo (SP), estamos tão acostumados a viver em sociedade de uma maneira mais “formal” e preocupados em como os outros nos enxergam que fingir ser outra pessoa no sexo por algumas horas chega a ser libertador. "É uma forma de curtir a transa de um modo mais liberal e prazeroso. O casal pode viver em um universo somente deles. E o mais importante: o que fazem na cama, entre quatro paredes, não os define como pessoas em sociedade", avalia.

Seja quais forem os papéis escolhidos --submisso(a)/dominador(a) ou par romântico de um filme que gostam, por exemplo--, a fantasia é uma oportunidade para se soltar a valer e falar e fazer coisas que em situações "convencionais" não diriam ou praticariam. Para a sexualidade, essas brincadeiras têm muitas vantagens, como estimular a criatividade.

"Criar um universo totalmente paralelo à sua realidade é bastante excitante. Vestir uma roupa diferente, usar outro tom de voz e assumir um personagem que não tem nada a ver com quem é de fato trabalha muito o seu lado criativo", diz Juliana.

Para as especialistas, esse tipo de exploração lúdica ajuda a aumentar o vínculo e a intimidade e renova a relação --inclusive no dia a dia, fora do quarto. Afinal, o casal que sai da rotina, que inova e não tem vergonha ou pudor de explorar coisas diferentes fica mais satisfeito e leve, o que acaba se refletindo na vida pessoal.

Para Tatiana, defensora ferrenha do impacto positivo das fantasias sexuais nos relacionamentos, a brincadeira pode começar antes mesmo de o par ir para as vias de fato. "Sair para dançar, por exemplo, é algo que sempre estimula a imaginação. Ou irem separados para um bar e, chegando lá, fingirem que são desconhecidos em busca de aventuras. Esses jogos eróticos são excitantes e, muitas vezes, funcionam como uma sessão quente de preliminares", garante.