menu
Topo

Moda

Após críticas por falta de inclusão, Victoria's Secret perde sua CEO

Getty Images
Imagem: Getty Images

Da Universa

15/11/2018 09h07

Uma semana depois de apresentar ao mundo seu aguardado desfile de lingeries, a Victoria's Secret enfrentou uma dura semana de críticas em relação à falta de inclusão de modelos trans e curvilíneas no evento e em suas peças - que apresentam queda de vendas ano a ano.

Nesta quarta (14), mais uma má notícia: Jan Singer, CEO da divisão de lingeries da marca, pediu demissão após dois anos de empresa. De acordo com as publicações The Financial Times e People, além das questões financeiras, declarações do chefe de marketing da empresa-mãe L Brands, Ed Razek, também podem ter influenciado na saída da executiva.

Veja também

Logo após a gravação do desfile, que irá ao ar no dia 2 de dezembro, Razek negou que a marca vá contratar modelos transgênero ou plus size para o evento anual, pois "não há interesse nisso" desde que ele propôs mais inclusão no começo dos anos 2000.

Após essas declarações, a marca foi às redes sociais pedir desculpas em que Razek admite ter sido insensível e afirma que houve casting com modelos trans que, como tantas outras, não passaram para a fase final. "Nunca foi uma questão de gênero. Eu admiro e respeito suas jornadas para abraçar o que elas realmente são".

.