menu
Topo

Relacionamentos

Polêmica em "A Fazenda": quem é comprometido precisa impor limites?

Reprodução/Play Plus
Nadja beija e abraça Felipe Sertanejo durante festa viking Imagem: Reprodução/Play Plus

Ana Bardella

Colaboração para Universa

08/11/2018 04h00

Nadja Pessoa, expulsa do reality “A Fazenda” por agredir o participante Caique Aguiar, já havia se envolvido em outras situações polêmicas antes de deixar o programa. Durante uma das festas, a empresária e esposa do cantor D’Black, bebeu demais e acabou gerando um climão com atleta Felipe Sertanejo. A moça disse repetidas vezes que gostava dele, se aproximando fisicamente. O rapaz, que também é comprometido, se mostrou incomodado. Tanto que, mais tarde, reclamou com os demais e disse que, se a situação se prolongasse, começaria a dar “patadas” na colega.

Relações monogâmicas requerem limites

De acordo com Luiz Francisco, psicólogo, life coach e professor da FADISP, “o limite dentro das relações monogâmicas é o de se relacionar com uma única pessoa”, explica. Logo, quaisquer outros tipos de relacionamentos, sejam se amizade ou coleguismo, não devem ter características que remetam ao interesse sexual. “O importante é ser honesto consigo mesmo e com o outro”, aponta. Na opinião do profissional, as ações não fazem diferença: abraçar ou dialogar com amigos, por exemplo, não é um comportamento problemático, desde que o interesse por trás não seja erótico.

Veja também

Os limites podem ser diferentes

“Naturalmente, os casais podem se configurar com limites expandidos, tendo uma relação mais livre”, complementa. Ele cita como exemplo os relacionamentos abertos, nos quais ambas as partes estão de acordo com o envolvimento com terceiras pessoas, sem que isso prejudique a qualidade da parceria entre os dois.

Como afastar alguém interessado?

“Primeiro, a pessoa tem que avaliar se o interesse do outro não mexe com ela”, aponta. Se a resposta for sim, o melhor é dialogar com o parceiro, pois isso pode ser indício de que algo não está fluindo bem na relação. “Já se ela não corresponde ao interesse, o ideal é estabelecer uma comunicação mais assertiva, para não ser mal interpretado”, orienta. Muitas vezes, isso evita confusões, já que o outro lado compreende que o afeto demonstrado anteriormente era somente fraternal.

Para lidar com a insistência...

Caso a pessoa interessada se mostre insistente, pode ser que a mensagem não tenha sido passada de uma forma tão clara. “Há quem não consiga ser enfático porque se sente carente e tem ganhos para autoestima quando recebe atenção”, diz Francisco. Outra possibilidade é a de que o interessado não saiba escutar um “não” e reaja de maneira agressiva. “Então o nível de assertividade deve aumentar. Diga que se sente mal, invadido ou violado com a situação”, aconselha. Se afastar sem dizer nada é outra opção, mas que pode não funcionar tão bem. “A pessoa pode alimentar fantasias de que precisa insistir mais”, alerta. Logo, para o psicólogo, a sinceridade é o melhor dos caminhos.