menu
Topo

Sexo

Guia do prazer: as 18 zonas erógenas do corpo da mulher

iStock
A pele o maior órgão de prazer do ser humano Imagem: iStock

Luiza Souto

Da Universa

04/11/2018 04h00

O corpo tem mais de 800 zonas erógenas, ricas em terminações nervosas e que despertam com variados estímulos, mas ainda assim foca-se na região genital para se chegar ao prazer mais rápido. A conta é da biomédica, sexóloga e terapeuta sexual Lívia Leite: "A pele é o maior órgão de prazer do ser humano, por isso nosso corpo é um parque de diversões".

Um estudo de 2013 feito por universidades britânicas e sul-africanas, apontado como o primeiro “levantamento sistemático de sensações eróticas de várias partes do corpo”, aponta que os órgãos genitais estão mesmo no topo dessa lista, seguidos dos lábios, orelhas, pescoço, coxas e costas. Lívia ensina como estimular essas e outras partes do corpo para sair do lugar-comum. 

Veja também

Mente

É a primeira palavra na lista de Lívia. Ela explica: é a mente que vai permitir ou não que todo o corpo seja explorado. Ela precisa estar relaxada.

Lábios

Segundo Lívia, a boca “é cheia de terminações nervosas”. Ela indica estimular bastante o cantinho do lábio com a língua, que é bem sensível. “Mas não ficar só naquele ponto, senão aquele ponto adormece e você deixa de sentir", orienta.

Orelhas

Uma lambidinha na região já excita bastante. Mas é importante estar atento à sensibilidade da pessoa, já que para alguns, um toque na região provoca cócegas.

Pescoço

Toda a região é sensível, mas quando se estimula a área da orelha até o ombro, é arrepio garantido. Vale usar dedos, assoprar, beijar ou lamber, 

Mão, atrás do joelho, canela e dobra do cotovelo

São lugares dos quais ninguém fala, atenta Lívia. Segundo a especialista, essas regiões têm uma sensibilidade muito boa por causa da pele fina. Beijos, carícias e massagem com as pontas dos dedos são bem-vindos.

Em volta dos seios

Alguns pensam que a sensibilidade na região é concentrada no mamilo, mas ela está em todo o seio, de acordo com a sexóloga. Vale brincar com algo quente ou frio, como pedra de gelo, dependendo da sensibilidade da pessoa.

Bumbum e virilha

Uma bela de uma massagem, indica a profissional, estimula bastante a região. Recomenda-se ainda uso de um óleo para ajudar no movimento, e também vibradores.

Ânus

Por ser uma área mais complicada, seja por preconceito, medo de sentir dor ou nojo, a dica é começar com uma pequena massagem, usando gel, sem introduzir o dedo. Pode-se ainda usar um massageador. Recomenda-se também não ir logo de cara para essa parte: deixe a pessoa o mais relaxada possível.

Lateral do corpo

É uma região boa para “acordar o corpo”, indica Lívia. O passar dos dedos por toda área é um ótimo estímulo.

Umbigo e pés

São regiões com muitas terminações nervosas também, mas dependendo do estímulo, pode provocar cócegas. Nesses casos, vale ir aos poucos, com toques leves e beijos, para não incomodar.

Ponto U

O ponto U fica entre a uretra e o canal vaginal, próximo do clitóris, e é muito bem estimulado pela língua, dedo ou ponta do pênis. “Há ainda estimuladores de clitóris como a bomba de sucção. Quem usou, garante que teve muitos orgasmos”, atesta Lívia.

Ponto G

Fica cerca de dois centímetros da entrada da vagina, para cima. Há estimuladores específicos para ajudar a chegar lá, "como um bullet com uma espécie de vírgula", conforme descreve Lívia. Uma dica é a própria mulher encontrar o local com a masturbação e indicar ao parceiro. 

Ponto A

Localizado no fundo do canal vaginal, próximo ao colo. Para se chegar nele, ensina Lívia, é preciso que o pênis ocupe todo espaço. O recomendável é a mulher ficar sentada, fazendo bastante movimento.