menu
Topo

Universa


Universa

Segunda lua de mel é legal? Não se vocês cometerem esses erros comuns

Getty Images/iStockphoto
Lua de mel Imagem: Getty Images/iStockphoto

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

31/10/2018 04h00

Ter um tempo de descanso e curtição com o par, mesmo após anos de relacionamento e experimentar novamente as delícias da primeira lua de mel, é algo que todo casal deveria fazer, inclusive mais de uma vez na vida. Nem sempre, porém, as coisas saem conforme o planejado. Dependendo da intenção com esse tipo de viagem, o efeito pode ser justamente o contrário, conforme provam os propósitos equivocados a seguir:

Erro 1: tentar tirar o casamento de alguma crise

Pode até ser que, durante a viagem, em um cenário paradisíaco e relaxante, vocês tenham uma conversa sincera sobre o que está acontecendo."Porém, é bom lembrar que, como vocês estão longe do ambiente doméstico e das demandas do dia a dia, que, provavelmente, têm ligação direta com a crise que vivenciam. Ou seja, há o risco de serem acometidos pela falsa sensação de que tudo se resolveu, mas, assim que pisarem de novo em casa, podem ser 'recebidos' pelos mesmos problemas de sempre", alerta a psicóloga Rejane  Sbrissa, de São Paulo (SP).

Veja também

Erro 2: buscar repetir ou recriar o relacionamento que tinham no começo

"Me surpreende quem é inocente o bastante para pensar assim", pontua Triana Portal, psicóloga clínica e terapeuta de casal, de São Paulo (SP). "As pessoas mudam, amadurecem, melhoram ou pioram. A vida está em constante mudança, é difícil recriar o cenário ou a interação do início. No começo há a paixão, que encobre defeitos e nos tira parte da razão", completa.

"Tentar repetir uma fantasia, quem sabe, até pode ser bacana. Mas acreditar que o beijo, o toque ou a disposição serão iguais, fica difícil", pondera a psicóloga Livia Marques, do Rio de Janeiro (RJ). Fazer uma viagem ao passado pode ser extremamente frustrante. Em vez disso, que tal aproveitarem a pausa para descobrirem coisas novas ou colocar fantasias há muito desejadas em prática?

Erro 3: querer superar uma traição recente

"Viajar para superar uma infidelidade parece bem propício, pois o casal ficaria longe dos comentários e da pessoa que participou da traição", comenta Livia. No entanto, traições não podem ser tratadas como fuga. Realmente algumas pessoas sabem que há "puladas de cerca" e nada falam, mas quem sabe que a traição é um fato incômodo não deve achar que uma viagem trará a resolução de todos os problemas.

"Pois a confiança, caso desejem continuar, só virá no dia a dia", diz a psicóloga. "A traição costuma trazer à tona sentimentos ruins como mágoa, rancor, raiva e tristeza, entre outros, que normalmente demoram para curar. Não adianta varrer a sujeira para baixo do tapete", fala Rejane.

Na opinião de Triana, a viagem deve acontecer depois de terem superado a crise e como o marco de uma nova fase --aí, sim. "Se vocês já se entenderam, se perdoaram, resolveram que querem mesmo continuar e que vão tentar reconstruir a relação, selar a decisão com uma viagem pode ser muito bacana, simbólico e regenerador", observa.

Erro 4: fugir de problemas que até então não conseguiram resolver

Acredite: é enorme a chance de os problemas não só "viajarem" com vocês, como o silêncio a respeito deles durante os passeios vai explodir num grande berro quando o momento de magia passar.

Não adianta viajar e deixar em uma situação que incomoda em "pausa". "Além do mais, viajar a dois em clima de lua de mel deveria ter como objetivos namorar, dar risada, curtir um lugar novo, transar, ter liberdade para fazer as coisas que nem sempre podem por causa dos filhos, dar um gás novo à relação para o retorno à rotina, entre outros benefícios", opina Milena Franzano, terapeuta sexual e de casal do Rio de Janeiro (RJ).

Erro 5: apenas um dos dois está achando a viagem uma boa ideia

"Viajar de lua de mel, como a própria tradição diz, significa que ambos estão felizes, confortáveis e de acordo com a escolha. Não adianta viajar se os dois não vão aproveitar da mesma maneira", afirma Livia. Se um sair de casa contrariado, é possível que, chegando ao destino, só fique com a cara enfiada no celular ou faça os passeios de mau humor. Pior: talvez sequer passeiem juntos. Sob essas condições, é melhor nem sair de casa.

Quando uma segunda lua de mel é uma boa ideia?

Para sair da rotina: reacende o romance, muda os ares e vocês ficam mais "grudadinhos" como há tempos não conseguiam.

Para passar um tempo a sós: e longe da correria do dia a dia. Às vezes, o casal consegue se ver só à noite e nem consegue conversar direito. Sair desse ritmo insano pode ser uma boa.

Para ter um tempo a sós sem os filhos: criança é tudo de bom, mas em muitos casos o casal só fica no modo "pai e mãe", nunca "marido e mulher". Tirar uma semaninha que seja para namorarem muda até o teor das conversas, que dirá do sexo!

Para sair do piloto automático: se a intenção é conversar sobre outros assuntos, experimentar pratos diferentes, ver outras paisagens, ouvir música em paz, dormir até tarde, falar besteira, por que não?

Para colocar em prática o plano de transarem sem pressa: mais do que fazer um sexo selvagem, tudo o que um casal precisa, em muitos casos, é ficar junto sem pressa, sem cobrança, sem medo de acordar as crianças, sem hora marcada e sem expectativa.

Para enfrentar a fase do "ninho vazio": nesse caso a segunda lua de mel ajuda a renovar os votos do casamento e faz com que o casal se "reencontre" como parceiros, sem a conexão mais focada em ser pais.

Mais Universa