menu
Topo

Moda


Gaúcha de 28 anos faz "pausa rápida" na medicina para desfilar na SPFW

Whenry Matias/WAY Model
Bruna Renz nasceu em Palmeira das Missões, no Rio Grande do Sul Imagem: Whenry Matias/WAY Model

Mariana Gonzalez

Da Universa, em São Paulo

24/10/2018 10h23

A carreira de modelo exige muita dedicação. A de medicina também.

Pois a gaúcha Bruna Renz, de 28 anos, decidiu encarar as duas e, meses depois de pegar o diploma na Universidade de Santa Cruz do Sul, se mudou para São Paulo para fazer sua estreia na edição N46 da São Paulo Fashion Week. Bruna sobe hoje na passarela de Lino Villaventura e também fez parte do casting de Patrícia Viera, na segunda-feira (22). 

Veja também

“Surgiram novas oportunidades e resolvi arriscar!”, disse, em entrevista à Universa, a modelo nascida e criada em Palmeira das Missões, cidade de 34 mil habitantes a 370 quilômetros da capital, Porto Alegre.

Apesar de querer ser médica desde criança, Bruna veio para São Paulo aos 13 anos, ao lado da mãe, tentar a carreira de modelo. “Recebi alguns convites, até para trabalhar fora do Brasil, mas na época não me senti atraída e preferi seguir o caminho da carreira médica, que falava mais forte”, lembra.

“Eu não escolhi a Medicina, a Medicina me escolheu. Não tenho nenhum médico na família, mas sempre quis ser médica para salvar vidas e aliviar sofrimentos”.

Ao final de seis anos de faculdade, no entanto, o sentimento de “e se” em relação à carreira de modelo persistia.

Whenry Matias/WAY Model
Imagem: Whenry Matias/WAY Model

Whenry Matias/WAY Model
Imagem: Whenry Matias/WAY Model

Por isso, decidiu fazer uma “pausa rápida” no sonho da medicina e retomar o contato com profissionais do mundo da moda que conheceu na adolescência. Acabou contratada pela Way Model e, em setembro, deixou a cidade natal.

“Minha família, meus amigos, todos me apoiaram nesta decisão”, diz a gaúcha.

Nas semanas anteriores ao evento, ela dedicou atenção especial às aulas de passarela. “Para mim, desfilar é muito mais complexo que fazer uma sutura em um paciente, por exemplo”, brinca.

E se tivesse que escolher entre a moda e a medicina? “Ficaria com as duas!”, responde. “Pretendo escolher a carreira que me faça mais feliz e mais realizada. Se ambas fizerem isso e eu conseguir conciliá-las, será ótimo”, completa.