menu
Topo

Direitos da mulher

Natalie Portman pede para a mulher não aceitar termos como louca ou difícil

Frazer Harrison/Getty Images
Natalie Portman fala sobre direitos da mulher em evento nos EUA Imagem: Frazer Harrison/Getty Images

Da Universa

14/10/2018 15h56

Durante evento Power of Women (Poder das Mulheres), da Variety, a atriz israelense Natalie Portman aconselhou que mulheres não deixem os homens falarem que elas são loucas ou difíceis. O evento aconteceu na noite desta sexta-feira, nos EUA, e reconhece algumas das mulheres mais filantrópicas de Hollywood.

Veja também

"Pare a retórica de que uma mulher é louca ou difícil. Se um homem disser que uma mulher é louca ou difícil, pergunte: 'Que coisa ruim você fez à ela?”, ensina a artista, arrancando aplausos da plateia. "Ele está tentando desacreditar sua reputação".

Em seu pronunciamento, Portman listou sete diretrizes para as mulheres se protegerem contra a violência nos projetos em que estão envolvidas. Entre os temas, diversidade e equiparação salarial.

"Todas vocês, nessa sala, têm o poder de negociar igualdade salarial", afirmou.

Portman também falou longamente sobre o megaprodutor Harvey  Weinstein, acusado de abuso e assédio sexual por mais de 70 mulheres, entre elas diversas atrizes hollywoodianas. A atriz criticou a maneira como Weinstein age para desacreditar suas vítimas e como roubou a indústria de toda uma geração de mulheres.

Durante o Globo de Ouro deste ano, Natalie Portman ironizou a ausência de mulheres na categoria de Melhor Diretor. "E estes são todos os indicados masculinos", disparou ela antes de anunciar Guillermo del Toro como vencedor pelo filme "A Forma da Água".

Na ocasião, Portman usou o tapete vermelho como uma plataforma para protestar em nome do movimento contra assédio sexual Time's Up.

A artista ressaltou ainda que as mulheres estão se matriculando nas escolas de pós-graduação na mesma proporção que os homens, mas mesmo assim, “na nossa indústria apenas 11% dos 250 melhores filmes do ano passado foram dirigidos por mulheres”.

Portman concluiu comparando o comportamento dos mamíferos para falar sobre distribuição de poder.

"Muitos homens estão agindo como se vivêssemos em um jogo. Que se uma mulher conseguir o respeito, acesso e valor que ela merece, ele vai perder. Mas nós sabemos a mensagem das mamas: quanto mais leite você dá, mais você produz. Quanto mais amor você dá, mais você tem. E o mesmo pode ser dito do fogo. Quando você acende a tocha de alguém com a sua própria, você não perde o seu fogo, apenas faz mais luz e calor. Acenda a tocha de uma mulher, a luz vai multiplicar e o calor vai intensificar para todos nós".