menu
Topo

Sexo

Papai-mamãe turbinado: a posição sexual que aumenta o estímulo do clitóris

Getty Images
Conheça a técnica do alinhamento coital Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

29/09/2018 04h00

A maioria das mulheres só atinge o orgasmo quando há estimulação do clitóris. Se levarmos essa estatística em conta, podemos concluir que o papai-mamãe, a posição sexual mais convencional de todas, dificilmente é responsável pelo clímax feminino. Isso porque, embora a penetração seja profunda, o clitóris recebe pouco estímulo --e as mãos do homem sequer podem dar uma ajudinha, já que precisam manter o equilíbrio ou segurar as pernas da parceira. Um estudo publicado na revista acadêmica americana “Journal of Sex and Marital Therapy”, porém, concluiu que pequenos ajustes na prática do papai-mamãe podem ampliar as sensações e potencializar a estimulação feminina. E mais: aumentar em 56% as chances de a mulher gozar.

Trata-se de uma estratégia batizada de Técnica do Alinhamento Coital ("The CAT", em inglês) que é relativamente simples: basta o homem se posicionar um pouco mais acima do corpo da parceira, posicionando os ombros na altura do queixo dela. "Essa pequena modificação faz com que a base do pênis e o osso pubiano dele consigam pressionar constantemente o clítoris, aumentando a sensação de prazer da mulher e, consequentemente, facilitando o orgasmo", explica a terapeuta sexual Lívia Leite, consultora em sexualidade nas áreas de Saúde e Educação.

Veja também

O jeito de o cara se mexer também é um pouco diferente. No papai-mamãe tradicional, a penetração tem um movimento horizontal, são movimentos que vão para frente e para trás e, por isso mesmo, não propiciam uma estimulação adequada do clitóris.

"No alinhamento coital, a penetração deve ser alterada de horizontal para vertical. Em vez de empurrar para dentro e puxar para fora, um movimento de balanço para cima e para baixo é usado. Assim, quando o homem levanta o quadril ou o corpo, a base do pênis entra em contato com o clitóris. E quando abaixa o corpo o contato se mantém", comenta Leila Campos, sexóloga e terapeuta sexual, de Macaé (RJ).

Segundo Lívia, o contato dos genitais deve ser mantido por um movimento sexual coordenado: enquanto o homem levanta o quadril dele, a mulher desce o quadril dela, e vice-versa. "Pode parecer um pouco desajeitado nas primeiras tentativas, mas com a prática o casal vai acertando o ritmo", conta. Embora a mulher possa colocar as pernas em volta do parceiro, especialistas sugerem que a fricção fica mais gostosa se ela as mantiver fechadas. Dica extra: colocar uma almofada por baixo do quadril da mulher faz com que ela eleve um pouco mais o corpo, aumentando o contato entre o casal.

E não pense que essa técnica é vantajosa apenas para as mulheres: o homem também sente a pressão e o estímulo do osso púbico feminino. Muitos, inclusive, relataram demorar mais para ejacular. A "The CAT" é mais prudente, também: "No típico papai-mamãe há o risco de, na empolgação, o homem deixar o pênis escapar durante o movimento de entrar e sair e assim bater bruscamente contra o corpo da mulher, podendo causar fratura peniana", fala Leila.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!