menu
Topo

Autoestima

"Você está uma bola": 5 mulheres que se livraram de homens gordofóbicos

Divulgação
Elaine: "Hoje sou miss e me amo" Imagem: Divulgação

Roseane Santos

Colaboração para Universa

10/09/2018 04h00

Quando se fala em violência contra a mulher, logo a gente pensa em espancamentos, tapas na cara e manchas roxas pelo corpo. Só que existe outra maneira de agredir: acabando com sua autoestima. Essa é a atitude velada de alguns “companheiros” que se sentem no direito de diminuir e até tomar conta do corpo feminino ditando a forma que ele deve ter. 

São frases cruéis, algumas vezes disfarçadas de boa intenção. “Você não está se achando gorda demais para usar essa roupa?”,” Vou te trocar por duas meninas de vinte anos?”, "Você se veste igual à vagabunda, do meu lado não sai assim”. Conheça mulheres que conseguiram dar um basta e hoje são felizes do jeito que elas são.

Veja também

"Ele dizia que os amigos me zoavam porque eu era gorda"

“Eu tive um relacionamento há quatros anos. No início, ele sempre falava que admirava gordinha. Só que com o desgaste do namoro, em alguns momentos de raiva quando a gente brigava, ele jogava isso na minha cara. Eu me lembro de uma briga que ele me falou que os amigos dele ficavam zoando pelo fato de eu ser gorda. Em relação à roupa, também tínhamos problemas. Sempre gostei de me produzir, andava sempre no salto. Toda vez que ele me via arrumada, com um vestido mais justo ou um decote, falava que eu estava querendo aparecer. Eu chamava a atenção dos homens. Ele ficava muito incomodado com isso, ao ponto de uma vez, levantar da mesa e me deixar sozinha. No final, eu cheguei a conclusão que ele estava me manipulando, fazendo acreditar que era feia, que estava ridícula da forma que me vestia e que ninguém me queria. Dei um basta naquela situação. Depois, me inscrevi para um concurso de miss plus size, venci, hoje tenho alguns títulos e me amar se tornou uma meta de vida. Queria que muitas mulheres se inspirassem nisso”, Elaine Souza, 38 anos, miss Plus Size 2017, em Olinda.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Meu namorado dizia que tinha nojo porque eu tinha muita celulite" 

“Terminei o namoro por causa de múltiplos abusos, inclusive o de menosprezo por causa do meu peso e uma neura enorme por eu ter celulites. Lembro de uma briga na cozinha. Ele disse bem alto 'eca, quantas celulites, você está uma bola', depois saiu e foi fumar um cigarro. Eu pensava porque ele fazia isso. Ele me conheceu bem magra e eu continuava perdendo peso. Não havia necessidade de ficar pedindo para emagrecer mais. Eu tive coragem de terminar porque não sou de ficar ao lado de pessoas agressivas e extremistas por muito tempo. Dei um basta e disse que não queria mais.” Manuela Henrique Fonseca, 26 anos, administradora de empresas.

"Ele escolhia até minhas calcinhas"

“Uma vez, o meu ex comprou dois vestidos e mandou que eu vestisse. Ele iria sair comigo para passear. Eu neguei e ele bateu em mim. Tive que fugir e fiquei escondida na casa de uma vizinha. Passei a noite lá. Não podia cortar o cabelo, tive que tingir e minhas roupas e sapatos eram compradas por ele. Até as minhas roupas íntimas ele escolhia. Era um inferno. Ou eu concordava, ou ele começava a quebrar tudo, agredir verbalmente e até bater em mim. Casei com 16 anos e meu divórcio foi aos 28 anos. Sai disso porque um amigo me aconselhou e abriu possibilidades na minha vida que eu nunca havia percebido. Colocou a minha autoestima no alto. Foi quando percebi que eu tinha que voltar a ser eu mesma. E não aceitei mais o papel de fantoche. Voltei a trabalhar, me tornei independente financeiramente e criei meus dois filhos.” Sara Fernandes, 50 anos, diretora administrativa.

"Os comentários do meu ex me fizeram ficar bulímica" 

“O pai do meu filho, na época que namorámos, falava da minha barriga. Fiquei mal por isso. Comecei a forçar vômito toda vez que comia. Depois a comida já saia sozinha, não precisava forçar o vômito. Parei de comer. Só tomava água e suco. De  60kg, fiquei com 45kg. Era osso puro. Logo depois engravidei, e me recuperei. Parei de vomitar. E tirei essa de querer agradar alguém q não está satisfeito com meu corpo. Aprendi a me respeitar e a me amar e me separei”, Simone Frez, 29 anos, estudante.

"Ele controlava tudo o que eu comia"

“Um namorado era obcecado para que eu perdesse peso. Eu não podia falar que estava com fome perto dele, que começava a me olhar de forma estranha. Mesmo se a gente ficasse o dia inteiro sem comer, se eu falasse que estava com fome, ele achava que aquilo era sinal de descontrole. Terminou comigo várias vezes, porque me imaginava casada com ele muita mais gorda. Imaginava que eu estava ocupando o sofá inteiro e comendo o dia todo em frente à televisão. Ele queria controlar tudo que eu comia. Quando sentávamos em um restaurante, ele ficava fiscalizando. A coisa começou a mudar dentro de mim, porque eu estava fazendo terapia e entrei em um processo de autovalorização e de não ficar com quem não merecesse e não me aceitasse como sou. Assim pude ver o quanto ele não me fazia bem e me afastei totalmente. Hoje sou casada com um homem maravilhoso e em uma relação infinitamente melhor. Ele me aceita como sou, tem tesão no meu corpo do jeito que ele é e isso torna tudo muito melhor”, R. P., 45 anos, arquiteta 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!