menu
Topo

Violência contra a mulher

Ciclo da violência doméstica: como identificar um relacionamento abusivo

Marcos Candido

Da Universa

01/09/2018 04h00

O ciclo da violência é usado para identificar se uma mulher está sofrendo violência psicológica e física do marido em ambiente doméstico.

O método é dividido em três etapas: aumento de tensão, ataque violento e a “Lua de Mel”.

Como funciona

Os três estágios consideram as atitudes do agressor durante o relacionamento. Não à toa, o também chamado "ciclo do abuso" é usado por por psicólogos, promotores e defensores públicos que atendem vítimas de violência doméstica. A consequência mais drástica do ciclo é o feminicídio.

Fase um: aumento de tensão

A primeira fase é marcada pelo chamado “aumento de tensão”. É quando o marido cria atrito e passa a se comportar de maneira mais ameaçadora.

“Essa etapa não é facilmente reconhecida”, explica Fabiana Sucasas, promotora do núcleo de proteção à mulher no Ministério Público de São Paulo.

Veja também

Segundo a especialista, o homem costuma ofender, criticar o trabalho doméstico e reclamar da aparência da mulher. As ofensivas também incluem perseguição e críticas contra pessoas próximas, como amigos, colegas de trabalho e familiares.

“O comportamento agressivo costuma ser atrelado por ele a fatores externos como o futebol, o álcool e problemas no trabalho. A mulher se sente até mesmo culpada pelas críticas”, pontua a promotora.

Fase dois: ataque violento

É fase mais extrema do ciclo. Nesta etapa, a mulher sofre violência física e/ou sexual do companheiro.

De acordo com especialistas, a vítima costuma buscar ajuda médica e apoio de amigos e/ou familiares neste estágio. Além disso, é quando há iniciativa registrar um boletim de ocorrência.

Fase três: Lua de Mel

A chamada “Lua de mel” é quando o marido tenta se redimir das agressões físicas e psicológicas.

“É a fase mais perversa, porque é o combustível dessa engrenagem”, diz Fabiana. “Ele promete que vai mudar, que aquele episódio de agressão é o único. É quando ele para de beber, diz que vai na igreja, arruma um novo emprego". 

Criado na década de 70, o ciclo é utilizado até hoje por psicólogos, defensores públicos e promotores de justiça especializados na defesa da mulher.

Quanto tempo pode durar o ciclo da violência?

Segundo a norte-americana Lenore Walker, psicóloga e criadora do ciclo, não há um intervalo definido entre cada ciclo. “Cada fase podem demorar de um a seis meses  - e se repetir até mesmo por anos”, escreveu.

O estudo que dá origem à teoria foi feito com 1.500 mulheres vítimas de abuso psicológico ou físico em ambiente conjugal, em 1979.

Como denunciar violência doméstica

Em casos de emergência, como agressões físicas, é preciso ligar para a polícia militar por meio do número 190. 

Todas as delegacias no Brasil podem registrar um boletim de ocorrência por violência doméstica, crime amparado pela Lei Maria da Penha.

Caso se sinta mais confortável, busque uma Delegacia da Mulher. O atendimento especializado funciona em todos os estados brasileiros. É possível pedir uma medida protetiva de urgência em qualquer delegacia. 

Demais denúncias podem ser feitas pelo Disque 180, serviço que envia o caso ao Ministério Público e dá orientações jurídicas e de saúde. O número funciona todos os dias da semana, inclusive em feriados.

Por dia, mais de 600 mulheres sofrem violência doméstica em todo o país

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!