menu
Topo

Direitos da mulher

Anitta fala de machismo: "Não devemos ser julgadas se decidimos ser sexy"

Manuela Scarpa/Brazil News
Anitta Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

da Universa, em São Paulo

24/08/2018 12h04

Para Anitta, o Brasil ainda precisa dar muitos passos para que as mulheres alcancem igualdade na sociedade.

A cantora, recentemente confirmada como jurada da versão mexicana do reality show "The Voice" (conhecido no país como "La Voz"), revelou ao jornal "Metro" do país nesta sexta (24) como ainda enxerga machismo em sua terra natal.

Veja também

"Nossa sociedade é mais jovem que a da Europa e estamos avançando contra o machismo e em prol da igualdade. Acho que as cantoras estão projetando a voz da mulher independente, que tem coragem e força para falar", acredita ela, que atuou como editora convidada de capas das edições do jornal em diversos países da América Latina. 

"Essas coisas [o machismo] são aprendidas em casa. Depois de três ou quatro gerações, esse pensamento vai mudar. [Enquanto crescia], escutei coisas diferentes das que minha mãe escutou, e meus filhos também escutarão outras coisas. Mas as pessoas não devem separar mais o que é papel de homem e de mulher. Nós decidimos o que queremos ser na sociedade"

Anitta ainda diz que vê uma função social no seu trabalho. "Comecei fazendo música ousada para elas se sentirem livres. O Brasil é machista e conservador, não devemos ser julgadas se decidimos ser sexy ou se não temos namorado."

"Busco transmitir, de maneira popular e divertida, uma mensagem de força para as mulheres, para que elas pensem que também têm controle sobre suas vidas", concluiu.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!