menu
Topo

Direitos da mulher

Maioria das millennials não se identificam como feministas, diz pesquisa

Damon Winter/The New York Times
Imagem: Damon Winter/The New York Times

da Universa, em São Paulo

15/08/2018 11h27

Apesar de a igualdade entre gêneros ser um tema tão discutido hoje nas sociedades ocidentais, mais da metade das mulheres da geração Y ou millennials — isto é, as nascidas nos anos 80 e 90 — não se identificam como feministas.

A conclusão é de uma pesquisa feita pelo site "Refinery29" e a emissora de tevê "CBS News" com 2.093 mulheres nos EUA entre 18 e 35 anos, publicada nesta quarta (15).

Veja também

Apesar de o foco da pesquisa ser examinar a visão política das jovens diante das eleições que acontecerão no país em novembro, as questões também se referiram a outros assuntos correlatos, como os direitos das mulheres.

54% das participantes responderam que não se consideram parte do movimento pela igualdade de gênero, enquanto 46% afirmaram que não se identificam como "feministas", indicando, de antemão, as dificuldades que existem para o entendimento do conceito de "feminismo".

Uma das mulheres ouvidas, identificada como Leah, de 22 anos, disse ao "Refinery29" que sente que o feminismo "foi tomado por ativistas de esquerda" e que, por este motivo, é impossível para ela se identificar com o movimento, apesar de ela lutar pela igualdade de gênero. 

Ela também pontuou que discorda do que vê como "um empurrão agressivo pró-aborto" por parte das ativistas. 

Em relação ao governo Trump, 53% das participantes concordaram que as políticas do presidente prejudicam majoritariamente as mulheres, enquanto 70% sentiram que seus direitos individuais e liberdades civis estão sob ameaça no país.

Ainda em relação ao aborto, 28% das mulheres ouvidas acreditam que ele deveria ser legal em todos os casos, e 25% creem que o procedimento deveria ser ilegal na maioria dos casos.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!