menu
Topo

Universa

Biógrafo diz que princesa Diana se sentia "prisioneira" da família real

BBC
Diana, princesa de Gales Imagem: BBC

da Universa, em São Paulo

10/08/2018 09h59

Que Diana enfrentou dificuldades para se adaptar à vida da realeza não é segredo para ninguém: ela mesma chegou a admitir em entrevista à BBC em 1995 ter enfrentado bulimia quando ainda estava casada com o príncipe Charles, e depressão após descobrir sua traição com Camilla, a duquesa da Cornualha.

No entanto, o biógrafo Andrew Morton disse à "People" nesta quinta (9) que a princesa chegou a tentar suicídio para "escapar" da família real.

Veja também

Andrew Morton entrevistou Diana secretamente, através de fitas gravadas e entregues a ele por um intermediário, para seu livro "Diana: Her True Story", publicado em 1992, ano de sua separação de Charles.

O autor só pode revelar que a própria princesa havia sido sua fonte após sua morte, em 1997.

"[O livro] explicava os sentimentos de Diana, sua sensação de isolamento, de ser uma prisioneira. Uma vez que isso vazou, chegou ao imaginário popular e puderam entender quem ela era como uma personalidade tridimensional, as pessoas passaram a responder a ela", relembrou.

"E você podia ver que as pessoas queriam uma monarquia Diana, que fosse mais acessível e descontraída, um pouco mais empática em relação aos próprios problemas". Andrew acredita que Meghan pode assumir este legado da sogra.

"Ela está usando o sapatinho de cristal para destruir o teto de vidro, é um conto de fadas pós-moderno", disse ele no programa "Loose Women", em maio.

Mais Universa