menu
Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução

Rita Cadillac revela como é para ela a experiência de atuar nua no palco

Carolina Martins/Universa
Rita Cadillac Imagem: Carolina Martins/Universa

Carolina Martins

Colaboração para Universa

28/07/2018 12h06

Mergulhada na interpretação da história de uma das pioneiras do naturismo e do feminismo no Brasil, a vedete revolucionária Luz Del Fuego — que marcou o imaginário popular ao dançar com uma cobra na década de 50 —, Rita Cadillac está, atualmente, quebrando alguns de seus próprios paradigmas.

Enquanto estreia no teatro, ela engatou, aos 64 anos, um relacionamento com um publicitário de 29 anos, cuja identidade prefere não revelar. A dançarina diz que era contra namorar "novinhos", mas se vê vivendo uma de suas melhores fases.

"Estou me sentindo linda e maravilhosa; amando e apaixonada. Está muito legal a relação. Graças a Luz [Del Fuego], estou me sentindo muito bem", disse.

Veja também

As novas experiências trouxeram para Rita algumas reflexões sobre o que, para ela, significa ser mulher.

"Eu passei pela repressão, então é difícil de falar sobre o agora, que é um pouquinho mais fácil nesse sentido", disse em referência aos seus tempos como dançarina do Chacrinha. "Mas para a mulher continua a mesma coisa", acredita.

"Sempre somos as culpadas, as reprimidas. Por mais que a gente levante bandeira, é difícil deixarem a mulher realmente ser mulher. A gente tenta".

No entanto, ela se identifica muito com sua personagem. "Tenho muito da Luz. Ela não tinha medo. Queria ser feliz, ser mulher, brigar com o mundo com o que ela tinha em mente e fora que não tinha problema em ficar pelada".

Rita ensaia a peça "Luz Del Fuego" há cerca de um mês e meio, que deve estrear na primeira semana de agosto no teatro Jaraguá. As cenas que ela viverá no palco trazem, como alguns de seus trabalhos anteriores, nudez.

"Adoro andar nua. Se eu pudesse andaria, não tenho vergonha, pudor, nada disso. Mas choro sempre. É outro mundo, não sou atriz, mas isso está sendo um dos maiores desafios para mim mesma”, explicou.

Mais Transforma