menu
Topo

Direitos da mulher

Meghan Markle discutiu a liberação do aborto em sua passagem pela Irlanda

Getty Images
Meghan, a duquesa de Sussex, durante sua visita à Irlanda nesta quarta (11) Imagem: Getty Images

da Universa, em São Paulo

12/07/2018 10h59

Meghan, a duquesa de Sussex, está na Irlanda em sua primeira viagem internacional servindo à coroa britânica.

Ao lado do príncipe Harry, ela tem se encontrado com políticos e diplomatas desde terça (10) e parece ter, ainda que muito sutilmente, quebrado uma tradição que data do século 17, quando o rei Charles foi decapitado durante a Guerra Civil Inglesa.

Veja também

Qual seria ela? Membros da família real não discutem seus posicionamentos políticos individuais em público. 

Nas raras ocasiões em que, tomados pela necessidade, eles interferem na política do país, é a monarquia que o faz como instituição: ou seja, a posição tomada pela rainha é, oficialmente, estendida a príncipes e princesas, duques e duquesas, e assim por diante. 

Depois de conhecer a duquesa em uma festa nos jardins da residência do embaixador britânico em Dublin, a senadora Catherine Noone tuitou que havia conversado com Meghan sobre o referendo de maio, que garantiu o direito ao aborto legal às mulheres no país. 

"Ela acompanhou tudo com interesse e estava satisfeita com o resultado", escreveu a senadora sobre o papo com Meghan.

Apesar de ter apagado o tuíte, ela teria explicado em um post seguinte — também já deletado segundo o jornal "Irish Times" — que ela "diria que Meghan parecia satisfeita, ela estava interessada e contida, não política".

Ao jornal "Irish Independent", ela disse que suas palavras eram "acidentalmente enganosas". No entanto, a escritora Una Mullaly, que estava na mesma festa, também acabou tuitando sobre sua conversa com Meghan -- com tônica similar.

"Ótimo bater um papo com Meghan Markle, a duquesa de Sussex, sobre a revogação [da proibição do aborto] e a importância de seu ativismo feminista. Como é importante ter pessoas na posição dela lutando pelos direitos da mulher".

Desde o casamento real, em 19 de maio, Meghan anunciou por meio da biografia real que envolveria com causas relacionadas ao empoderamento feminino. A extensão de sua atuação, no entanto, ainda não foi determinada.