Topo

Violência contra a mulher

Zeladora negra é obrigada a usar desodorante e sofre ofensas racistas no MT

iStock
Caso aconteceu em Sinop Imagem: iStock

Da Universa

05/07/2018 12h03

Uma zeladora de 33 anos sofreu assédio moral e racismo de sua patroa, que as obrigou a passar desodorante e a chamou de "preta fedida". 

O caso aconteceu na última segunda-feira (3), na cidade de Sinop, a 500 quilômetros de Cuiabá (MT). De acordo com o jornal local "O Livre", a vítima ouviu uma série de xingamentos e chegou a ser agredida enquanto trabalhava. 

Veja também: 

Tudo começou quando a patroa chamou a zeladora para conversar em uma sala reservada e a entregou o desodorante, pedindo que passasse na sua frente.

Quando perguntou se estava fedendo, a funcionária ouviu a chefe dizer que "ainda não", mas que pessoas de "tom preto" não cheiram bem.

“Na hora me senti desconfortável, mas peguei o produto e comecei a passar. Ela não ficou satisfeita, tomou o desodorante da minha mão e esfregou no meu corpo com muita força", disse a vítima, ao "O Livre". "Ela machucou minha pele e minha dignidade". 

De acordo com a zeladora, a patroa ainda proferiu uma série de xingamentos e ofensas antes de liberá-la para voltar ao trabalho.

O caso foi denunciado como crime de racismo na delegacia da cidade e a agressora deve ser enquadrada em crime de injúria racial. 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!