Topo

Diversidade

Mãe levanta o mesmo cartaz há 47 anos na Marcha do Orgulho LGBT nos EUA

Andrew Burton/Getty Images
Frances Goldin Imagem: Andrew Burton/Getty Images

Da Universa

26/06/2018 18h39

Infelizmente, nem todo membro da comunidade LGBTQ conta com o apoio dos pais quando assume sua sexualidade – seja ela qual for, a tolerância nem sempre é um caminho escolhido pelos familiares.

Mas Frances Goldin, de 94 anos, é um exemplo que o contrário disso acontece e, quando acontece, é simplesmente maravilhoso. Mãe de duas garotas lésbicas, ela participa da Marcha do Orgulho LGBT, realizada em Nova York, nos EUA, desde 1971, quando suas filhas se assumiram para a família.

Veja também

Em entrevista ao Huffington Post, Frances contou que a comoção causada pelas pessoas que viram o cartaz quando ela o levou pela primeira vez foi um dos pontos que a motivou a prosseguir com essa atitude.

Yana Paskova/Getty Images
Imagem: Yana Paskova/Getty Images

"A primeira vez que vi a reação das pessoas ao meu cartaz, fiquei incrivelmente comovida. As pessoas chegavam em mim com lágrimas nos olhos e me agradeciam por dar esse apoio. Diziam: 'Você poderia telefonar ao meu pai/mãe? Você poderia ser minha mãe?' Esses jovens querem desesperadamente que seus pais os amem e apoiem pelo que eles são”, disse.

Goldin contou à publicação que originalmente o cartaz que diz “Adoro minhas filhas lésbicas, mantenham-nas seguras” só tinha a primeira parte inicialmente. De sangue ativista, a mãe decidiu por reivindicar algo maior posteriormente na Marcha a Washington pelos Direitos Iguais e a Liberação de Lésbicas, Gays e Bissexuais, no ano de 1993.

Andrew Burton/Getty Images
Imagem: Andrew Burton/Getty Images

"Minha vida foi enriquecida pelo fato de eu ter conhecido pessoalmente a comunidade LGBT e feito parte dela. Graças a isso, fiz muitos novos e queridos amigos e ampliei meu ativismo político", contou.

Que exemplo de mulher <3

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!