menu
Topo

Violência contra a mulher

Jovem fala sobre assédio em discurso de formatura e tem microfone cortado

Reprodução/Instagram/lulabelseitz
Lulabel Seitz Imagem: Reprodução/Instagram/lulabelseitz

Da Universa

11/06/2018 10h08

Quando subiu ao palco para fazer seu discurso de formatura, Lulabel Seitz deveria ler um texto pré-aprovado pela direção da escola, mas decidiu improvisar e falar sobre um assunto bastante delicado: o assédio que sofreu dentro da sala de aula e a negligência da escola em relação à agressão. 

Quando perceberam a acusação, no entanto, os administradores da Petaluma High School, na Califórnia, cortaram o microfone e impediram que a adolescente, de 17 anos, terminasse a fala. 

Veja também 

A colação de grau aconteceu no último sábado (9) e, no dia seguinte, ela publicou todo o discurso em vídeo no YouTube. 

Em entrevista ao "Buzz Feed News", Lulabel disse que se inspirou em Martin Luther King para fazer de sua fala um ato de manifestação e não ficou surpresa com a "falha" do microfone. "Eles fazem isso o tempo inteiro, calam os estudantes". 

No último ano letivo, ela e outras colegas sofreram assédio sexual constante de um colega de classe. O caso foi levado à direção da escola e chegou a envolver a polícia local, mas o agressor continuou frequentando as aulas e, inclusive, estava na plateia da formatura.

A adolescente disse ainda que, dias antes de sua formatura, a direção da escola a convidou para uma reunião e disse que se ela mencionasse o caso, seria impedida de falar.

"Eu não planejava falar especificamente sobre meu caso e nem citar o nome do agressor porque ele continuava que ameaçando. Mas se eu não me levantasse contra a escola, quem faria isso?", contou.