menu
Topo

Beleza

Teste reprova 12 marcas de escova progressiva; excesso de formol é causa

Getty Images
Das 12 marcas testadas pela Proteste, nenhuma foi aprovada por não seguir recomendações da Anvisa Imagem: Getty Images

da Universa, em São Paulo

08/06/2018 10h38

Doze marcas conhecidas de escova progressiva foram testadas pela Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) e nenhuma foi aprovada, segundo estudo publicado pela instituição nesta quinta (7).

Entre os principais problemas encontrados nas amostras está o excesso de formol, acima do limite estipulado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de 0,2% de formol em sua composição.

Veja também

As marcas testadas pela pesquisa foram: Zap All Time; Gloss Profissional; Maria Escandalosa; Portier - Exclusive; Portier - Unique; Foreverliss; Probelle; G Hair - Tratamento capilar marroquino; G Hair – Fórmula Original Alemã; Etnik Brasil; Madamelis e Maria Glamurosa.

Além da quantidade de formol, foram avaliadas a rotulagem dos produtos (que precisam conter todas as informações obrigatórias sobre o conteúdo, seguindo as determinações da agência), informações de contato da marca para o consumidor e pH das substâncias.

Reprodução
As conclusões do teste realizado pela Proteste Imagem: Reprodução

As conclusões

Dez das 12 testadas tinham formaldeído, o formol, acima do permitido. Probelle e Portier Unique não ultrapassaram este limite, porém não indicavam a existência da substância em seus produtos nos rótulos. 

Estas duas marcas, no entanto, apresentaram pH abaixo do recomendado — cerca de 1,8, quando o valor mínimo recomendado é de 2,5 — o que pode resultar em danos aos fios e ao couro cabeludo. A Proteste orienta que o uso destas duas opções seja feito de acordo com as instruções do rótulo, para evitar maiores riscos.

G Hair Marroquino traz na sua composição ácido glioxílico e orienta no rótulo a secagem do cabelo com secador e prancha. No entanto, a Anvisa informa que não há dados que comprovem que é segura a utilização desse composto quando o cabelo é submetido a um procedimento térmico.

Gloss e G Hair apresentaram notificações vencidas e canceladas, respectivamente, então não poderiam estar disponíveis no mercado.

A instituição ainda afirmou, em seu relatório, que pedirá a retirada do mercado dos produtos com altos níveis de formol.