Moda

Estilista Kate Spade é encontrada morta em apartamento em Nova York

AP Photo/Bebeto Matthew
Kate Spade Imagem: AP Photo/Bebeto Matthew

da Universa, em São Paulo

05/06/2018 13h33

A estilista Kate Spade foi encontrada morta nesta terça (5) em seu apartamento em Nova York. Segundo informações da AP, a causa teria sido suicídio.

Kate, de 55 anos, teria sido encontrada enforcada às 10h20 pela faxineira e teria deixado um bilhete, em que dizia à filha que a culpa não era dela. Uma fonte da polícia disse ao "New York Post" que o motivo da morte seriam problemas de relacionamento. 

Veja também

Segundo o "The New York Times", o marido, Andy, estava no apartamento na Park Avenue, mas a filha do casal, Frances Beatrix, de 13 anos, estava na escola. De acordo com o site "TMZ", ela teria se enforcado com um lenço vermelho preso a uma maçaneta.

Getty Images
Andy e Kate Spade em um evento, em 2010 Imagem: Getty Images

Ainda não se sabe havia quanto tempo Kate estava morta quando foi encontrada. O corpo passará por autópsia.

Através do Twitter, a marca que leva seu nome confirmou a morte: "Kate Spade, a fundadora visionária de nossa marca, faleceu. Nossos pensamentos estão com sua família neste momento incrivelmente triste. Honramos toda a beleza que ela trouxe para este mundo".

Famosos lamentam a perda da estilista

Personalidades como Chelsea Clinton, filha do ex-presidente Bill Clinton e da ex-secretária de Estado dos EUA Hillary Clinton, lamentaram a morte da designer. Chelsea relembrou que ganhou sua primeira bolsa assinada por Kate enquanto estava na faculdade e afirmou que manterá sua família em seu coração neste momento.

A cantora Alyson Stoner afirmou que "nunca se sabe pelo que alguém está passando" e ainda compartilhou o número de uma linha de apoio a pessoas que estão experimentando pensamentos suicidas.

Já a atriz Rachel Leishman afirmou que Kate era "revolucionária".

A escritora Victoria Aveyard também expressou seus sentimentos e frisou que a depressão não discrimina.

A apresentadora de tevê e escritora Bethenny Frankel fez uma afirmação controversa de que sucesso não faz alguém necessariamente feliz e expressou sua tristeza diante do fato de que "Kate estivesse com tanta dor".

A modelo plus size Tess Holliday dividiu sua experiência de trabalho com a criadora e sua marca e definiu a colaboração entre as duas como "doce". "Estou devastada de ouvir que ela se foi. Suicídio não é 'uma saída fácil' e não deve ser motivo de chacota", pontuou.

O estilista Kenneth Cole relembrou uma frase presente em muitas das criações de Kate — "Eu acreditei que podia e, por isso, consegui" — e prestou sua homenagem ao seu legado fashion: "Ela, sozinha, não só mudou o mundo das bolsas, mas ela mesma foi um acessório à inspiração".

O CFDA (Council of Fashion Designers of America), principal órgão de moda do país, também lamentou a perda de Kate Spade em comunicado à imprensa internacional.

"O CFDA está devastado com a notícia da morte trágica de nossa amiga, colega e membro Kate Spade. Ela era um grande talento que teve impacto imensurável na moda americana e na maneira com que o mundo via os acessórios americanos. Nós queremos honrar a sua vida e sua imensa contribuição para o negócio de moda e expressar as nossas mais sinceras condolências à família".

A trajetória de Kate Spade no mundo da moda

Nascida Katherine Noel Brosnahan, Kate começou a trabalhar nos anos 80 na revista "Mademoiselle". Ela fundou sua marca com o marido, Andy, em 1993. A designer ganhou notoriedade principalmente por suas bolsas e roupas coloridas. Com mais de 315 lojas espalhadas pelo mundo, a grife encerrou suas operações no Brasil em 2015.

Kate foi reconhecida com dois prêmios pelo CFDA - o conselho de designers de moda dos Estados Unidos: em 1996, como o Novo Talento Americano em Acessórios e dois anos mais tarde como a Melhor Designer de Acessórios. 

Zack Seckler/AFP/Getty Images
Kate Spade e o estilista Michael Kors Imagem: Zack Seckler/AFP/Getty Images

Em 1999, Kate vendeu a maior parte de sua companhia para o grupo Neiman Marcus. Em 2006, ela vendeu a parte restante para a Coach Inc. e dedicou seu tempo a criar a filha. Na época da negociação, a grife foi avaliada em 2,4 bilhões de dólares -- mais de 9 bilhões de reais. Em 2016, porém, ela voltou ao mercado de moda ao lançar uma marca de acessórios, Frances Valentine.

Representantes da designer ainda não se pronunciaram sobre o caso. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Bloomberg
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Ana Aoun
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
EFE
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
AFP
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Ana Aoun
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Topo