menu
Topo

Moda

Estilista Kate Spade é encontrada morta em apartamento em Nova York

AP Photo/Bebeto Matthew
Kate Spade Imagem: AP Photo/Bebeto Matthew

da Universa, em São Paulo

05/06/2018 13h33

A estilista Kate Spade foi encontrada morta nesta terça (5) em seu apartamento em Nova York. Segundo informações da AP, a causa teria sido suicídio.

Kate, de 55 anos, teria sido encontrada enforcada às 10h20 pela faxineira e teria deixado um bilhete, em que dizia à filha que a culpa não era dela. Uma fonte da polícia disse ao "New York Post" que o motivo da morte seriam problemas de relacionamento. 

Veja também

Segundo o "The New York Times", o marido, Andy, estava no apartamento na Park Avenue, mas a filha do casal, Frances Beatrix, de 13 anos, estava na escola. De acordo com o site "TMZ", ela teria se enforcado com um lenço vermelho preso a uma maçaneta.

Getty Images
Andy e Kate Spade em um evento, em 2010 Imagem: Getty Images

Ainda não se sabe havia quanto tempo Kate estava morta quando foi encontrada. O corpo passará por autópsia.

Através do Twitter, a marca que leva seu nome confirmou a morte: "Kate Spade, a fundadora visionária de nossa marca, faleceu. Nossos pensamentos estão com sua família neste momento incrivelmente triste. Honramos toda a beleza que ela trouxe para este mundo".

Famosos lamentam a perda da estilista

Personalidades como Chelsea Clinton, filha do ex-presidente Bill Clinton e da ex-secretária de Estado dos EUA Hillary Clinton, lamentaram a morte da designer. Chelsea relembrou que ganhou sua primeira bolsa assinada por Kate enquanto estava na faculdade e afirmou que manterá sua família em seu coração neste momento.

A cantora Alyson Stoner afirmou que "nunca se sabe pelo que alguém está passando" e ainda compartilhou o número de uma linha de apoio a pessoas que estão experimentando pensamentos suicidas.

Já a atriz Rachel Leishman afirmou que Kate era "revolucionária".

A escritora Victoria Aveyard também expressou seus sentimentos e frisou que a depressão não discrimina.

A apresentadora de tevê e escritora Bethenny Frankel fez uma afirmação controversa de que sucesso não faz alguém necessariamente feliz e expressou sua tristeza diante do fato de que "Kate estivesse com tanta dor".

A modelo plus size Tess Holliday dividiu sua experiência de trabalho com a criadora e sua marca e definiu a colaboração entre as duas como "doce". "Estou devastada de ouvir que ela se foi. Suicídio não é 'uma saída fácil' e não deve ser motivo de chacota", pontuou.

O estilista Kenneth Cole relembrou uma frase presente em muitas das criações de Kate — "Eu acreditei que podia e, por isso, consegui" — e prestou sua homenagem ao seu legado fashion: "Ela, sozinha, não só mudou o mundo das bolsas, mas ela mesma foi um acessório à inspiração".

O CFDA (Council of Fashion Designers of America), principal órgão de moda do país, também lamentou a perda de Kate Spade em comunicado à imprensa internacional.

"O CFDA está devastado com a notícia da morte trágica de nossa amiga, colega e membro Kate Spade. Ela era um grande talento que teve impacto imensurável na moda americana e na maneira com que o mundo via os acessórios americanos. Nós queremos honrar a sua vida e sua imensa contribuição para o negócio de moda e expressar as nossas mais sinceras condolências à família".

A trajetória de Kate Spade no mundo da moda

Nascida Katherine Noel Brosnahan, Kate começou a trabalhar nos anos 80 na revista "Mademoiselle". Ela fundou sua marca com o marido, Andy, em 1993. A designer ganhou notoriedade principalmente por suas bolsas e roupas coloridas. Com mais de 315 lojas espalhadas pelo mundo, a grife encerrou suas operações no Brasil em 2015.

Kate foi reconhecida com dois prêmios pelo CFDA - o conselho de designers de moda dos Estados Unidos: em 1996, como o Novo Talento Americano em Acessórios e dois anos mais tarde como a Melhor Designer de Acessórios. 

Zack Seckler/AFP/Getty Images
Kate Spade e o estilista Michael Kors Imagem: Zack Seckler/AFP/Getty Images

Em 1999, Kate vendeu a maior parte de sua companhia para o grupo Neiman Marcus. Em 2006, ela vendeu a parte restante para a Coach Inc. e dedicou seu tempo a criar a filha. Na época da negociação, a grife foi avaliada em 2,4 bilhões de dólares -- mais de 9 bilhões de reais. Em 2016, porém, ela voltou ao mercado de moda ao lançar uma marca de acessórios, Frances Valentine.

Representantes da designer ainda não se pronunciaram sobre o caso.