Violência contra a mulher

Feminicídio mata 239 mil garotas com menos de 5 anos na Índia anualmente

Getty Images
Criança indiana com a mãe Imagem: Getty Images

Da Universa

15/05/2018 16h27

De acordo com um estudo publicado pelo Lancet Global Health, as taxas de feminicídio na Índia são alarmantes. Pesquisas mostram que mais de 239 mil meninas, com 5 anos ou menos, morrem anualmente na região, ou seja, 2,4 milhões de garotas são mortas a cada década devido a discriminação de gênero presente na sociedade.

A maioria das mortes são consequência da negligência de suas famílias e órgãos de saúde pública, como na distribuição de alimentos e atendimento médico. Além disso, as garotas têm menor acesso à educação do que os garotos na mesma faixa de idade.

Veja também

O estudo ressalta ainda que, em condições naturais e em países onde a descriminalização de gênero não é tão acentuada, as taxas de mortalidade de meninas com menos de cinco anos devem ser menores do que as dos meninos, devido a uma vantagem biológica natural.

Christophe Guilmoto, professor da Universidade Paris-Descartes, na França, complementa os dados afirmando que por muito tempo, a seleção do sexo da criança, mesmo antes dela nascer, é um dos fatores agravantes para que a situação tenha chegado a esse ponto.

“A discriminação baseada em gênero não impede apenas que as meninas nasçam na Índia, mas também precipitam a morte daquelas que já nasceram. A igualdade de gênero não se trata apenas de direitos à educação, emprego ou representação política. Abrange também questões como cuidados rotineiros, vacinação, nutrição dessas meninas e, claramente, sua sobrevivência”.

Nandita Saikia, coautora da pesquisa, reforça a necessidade de uma intervenção para reduzir os dados, principalmente no norte da Índia, onde os números são acentuados.

“Isso reforça a necessidade de abordar diretamente a questão da discriminação de gênero, além de incentivar o desenvolvimento social e econômico de seus benefícios para as mulheres indianas”.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

ANSA
Da Universa
Da Universa
AFP
BBC
Da Universa
BBC
Da Universa
AFP
Da Universa
Da Universa
Da Universa
AFP
Estadão Conteúdo
Blog da Regina
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC Brasil
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
BBC
Da Universa
AFP
Da Universa
AFP
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
AFP
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
DW
EFE
AFP
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Topo