Mães e filhos

Mari Weickert fala de dificuldade para amamentar: "Me senti a pior mãe"

Reprodução/Instagram
Mariana Weickert e a filha, Theresa Imagem: Reprodução/Instagram

da Universa, em São Paulo

02/05/2018 10h54

"Estou vivendo o melhor momento da minha vida". É assim que a modelo e apresentadora Mariana Weickert define a maternidade em entrevista à revista "Marie Claire" de maio.

No entanto, mesmo para uma mulher que se sente realizada no novo papel, as pressões sociais para corresponder às expectativas do que é uma mãe ideal atingiram mesmo a ela.

Veja também

"O parto foi lindo, natural, mas tive muitos, muitos problemas para amamentar", conta a mãe de Theresa, de 3 meses. Ela ainda explicou à publicação que a filha nasceu com sucção imatura e, por isso, começou a tomar o leite materno e o industrializado na mamadeira no 3º dia de vida.

"A amamentação foi minha primeira frustração da maternidade. Todo mundo diz que é a coisa mais maravilhosa que existe. Não é. É f*da. Me senti a pior das mães, um monstro, porque não tinha leite o suficiente para minha filha. Quando me entregaram Theresa na maternidade, senti um enorme senso de responsabilidade. Fiquei tão tensa com essa história do leite que não consegui curti-la. Ficava plugada na máquina de ordenha, não dava banho nem trocava fralda", relembrou.

Veio da babá, Nilza, a compreensão e a orientação de que Mari mais precisava. "Quando a nenê tinha duas semanas, ela me disse: ‘Viva tua filha’. Aquilo me impactou. No dia seguinte, a agarrei. Foi ali que comecei...", disse, em lágrimas.

"O amor é uma construção. Para mim, não foi avassalador no primeiro dia. Com o tempo, me permiti errar. Hoje, cada minuto que ela passa no meu peito é uma vitória. Tento produzir a maior quantidade possível, dou o meu melhor. Pode até não ser suficiente, mas é tudo o que posso dar". 

Mas ela enxerga a experiência, como um todo, de maneira positiva. "Olho para ela e penso como a maternidade pode ser tão linda e absurda, como o amor que sinto é imenso. Tudo parece encaixado. Não tive depressão pós-parto, meu casamento vai bem. Se tivesse adiantado o plano de ser mãe, talvez não estivesse pronta para viver isso com a entrega que tenho hoje. Claro que não tenho mais a energia dos 20 anos para correr atrás de criança, o corpo volta mais devagar... Mas quer saber? Não estou nem aí.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Da Universa
DW
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
AzMina
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
DW
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Topo