Moda

Promessa da SPFW, modelo enfrenta cegueira e conquista sonho da passarela

Reprodução/Mega Model Brasil
Mika, 19, tem 20% de visão em cada olho e uma carreira de modelo prestes a deslanchar Imagem: Reprodução/Mega Model Brasil

Denise de Almeida e Mariana Araújo

da Universa, em São Paulo

26/04/2018 07h00

Ela tem 1,78 m de altura, 60 cm de cintura e apenas 20% de visão. Mikaella de Jesus Santos -- a Mika -- é uma modelo da nova geração que promete brilhar nas passarelas, enquanto lida com a doença degenerativa que descobriu há quatro anos.

Desde os 13 anos, Mika sonha em seguir carreira. Mas, aos 15, recebeu o diagnóstico de ceratocone, doença genética que afeta a córnea e pode causar cegueira. "À época, o médico disse que era caso de transplante, mas que custaria muito caro e eu não tinha condições de pagar. Então, fui levando a vida como podia, enxergando com apenas 20% da visão", contou a modelo à Universa.

Veja também

Atualmente, Mika usa uma lente de contato especial, capaz de dar mais autonomia a ela. Assim, também conseguiu aumentar a autoestima, mas o caminho não foi fácil. Ela revela que se sentia mal quando outras pessoas tentavam ignorar suas dificuldades.

Reprodução/Mega Model Brasil
"Claro que tive problemas com autoestima", conta a modelo Mika Imagem: Reprodução/Mega Model Brasil

"Diversas vezes ouvi dizerem: 'mas por que não usa óculos?'. Claro que tive problemas com autoestima, sentia receio de falar do meu problema nos castings, mas seguia em frente. Aprendi que precisamos enfrentar as dificuldades da melhor maneira possível, pois tenho objetivos de vida maiores que isso", conta.

A jovem sergipana, de 19 anos, está na São Paulo Fashion Week e hoje é agenciada pela Mega Model Brasil, que tem em seu casting nomes como Ana Beatriz Barros, Izabel Goulart e Isabeli Fontana.

A baixa visão de Mika traz desafios diários. "Houve muitas situações que achei que pudessem ser um obstáculo. Por exemplo, quando os fotógrafos pediam para que eu copiasse as poses e não enxergava. Mas sempre fui muito focada no meu sonho e dava um jeito de fazer", conta.

Para Mika, o momento mais marcante em sua carreira foi receber o primeiro cachê e, assim, poder ajudar sua mãe. "Ela sempre me apoiou em tudo, me ajudou a superar cada momento. Foi pouco, mas o suficiente para pagar algumas contas", diz, orgulhosa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Ana Aoun
Da Universa
Da Universa
EFE
Bloomberg
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Ana Aoun
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Ana Aoun
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Topo