Mães e filhos

Pré-natal: conheça os exames que as grávidas devem fazer durante a gestação

Getty Images
Está pensando em ter filhos? É preciso se preparar, fazer exames e saber se está tudo bem com você Imagem: Getty Images

Geiza Martins

Colaboração para a Universa

16/04/2018 04h00

Para saber se está tudo bem tanto com você quanto com o bebê, é necessário fazer muitos exames! Na verdade, a agenda da gestante fica tomada por consultas e avaliações físicas. A recomendação do Ministério da Saúde é fazer até seis visitas ao médico. Porém, alguns especialistas preferem aumentar essa frequência.

Então, para não se perder entre tantos afazeres e seguir direitinho o recomendado, que tal saber aqueles que não podem faltar?

Leia também:

Pré-gravidez

Se você estiver planejando engravidar, é de praxe buscar alguns exames para checar se seu organismo está pronto para receber um bebê. É o famoso pré-natal, que evita a pré-eclâmpsia, entre outras doenças. Segundo a ginecologista e obstetra Célia Beatriz David, precisamos focar se estamos com alguma doença que pode causar aborto espontâneo.

"Eles avaliarão a condição física da futura mamãe, detectam doenças e problemas que podem ocorrer na gestação e também com o feto", comenta Célia. É também nessa fase que podem ser feitos os testes para mulheres que têm dificuldade de engravidar.

Nessa fase, basicamente, o que iremos checar é o nosso sangue, que deve ser avaliado no mínimo 3 meses antes de engravidar, para dar tempo de diagnosticar e tratar. "O homem precisa investigar as mesmas doenças para evitar a transmissão para a mãe durante a gestação", explica a obstetra. Segundo ela, os exames são:

1. Hemograma completo — é a avaliação de todos os compostos presentes no sangue, como a série vermelha (dos glóbulos vermelhos), série branca (dos glóbulos brancos) e plaquetas. A ideia é descobrir se não existe um quadro de anemia ou outras doenças.

2. Sorologia para toxoplasmose — a doença pode causar cegueira ou surdez no futuro feto; *Esse é necessário repetir nos últimos meses.

3. Sorologia para HIV e sífilis — caso seja detectado um dos dois, é importante que tratar a mãe para os vírus não sejam transmitidos para o feto. No caso de HIV positivo, a mãe não pode amamentar.

4. Sorologia para citomegalovirus — que pode causar malformações ou abortamento.

Durante a gravidez

Dando continuação ao pré-natal, alguns exames são indispensáveis nos primeiros meses de gestação. Se a mãe não tiver feito os exames pré-gravidez, ela terá de realizar os 4 descritos anteriormente nesse momento— hemograma completo, sorologia para toxoplasmose, HIV, sífilis e citomegalovirus. Além disso, no início da gravidez, é preciso examinar:

1. Tipagem sanguínea — é essencial saber a tipagem, mas é ainda mais importante descobrir o fator RH da mãe. Isso porque se ela tiver fator negativo e seu bebê for positivo, pode haver um problema no parto que é chamado de eritoblastose fetal. Na prática, os sangues formam anticorpos anti-RH no organismo da mãe e esses podem destruir as hemácias do bebê. Mas isso é facinho de evitar, bastar tomar um medicamento indicado pelo obstetra. *Esse é necessário repetir nos últimos meses.

2. Urina — a ideia é detectar infecção urinária, pois essa pode causar desde um aborto até um parto prematuro.

3. Glicemia de Jejum — esse exame indica a quantidade de glicose presente no sangue. Ou seja, o médico irá avaliar se a gestante tem pré-diabetes, diabetes ou diabetes gestacional. Vale dizer que a diabete não tratada pode prejudicar uma gestação. A mãe pode desenvolver pré-eclâmpsia, que é o aumento da pressão arterial, ganhar muito peso, ou pior, abortar. Já o bebê pode crescer muito, ter insuficiência pulmonar ou ainda desenvolver icterícia. *Esse é necessário repetir nos últimos meses.

4. Ultrassom pélvica — logo no início da gravidez é preciso um ultrassom para avaliar onde está ocorrendo essa gestação, ou seja, se ela realmente está dentro do útero. Também é com ela que podemos descobrir a idade gestacional do feto, ou se há gêmeos ou se há realmente um feto, pois o nosso organismo pode nos enganar. *Esse é necessário repetir nos últimos meses.

5. Hormônios da tireoide — também é indicado avaliar a tireoide, pois se houver desequilíbrio pode causar excesso de ganho de peso na gestante.

Pós-parto

Depois que virou mãe, a mulher muda novamente a sua agenda. Mas agora a programação não são os exames, mas os cuidados com o filhote! Na verdade, ela volta a ter sua vida normal e deve buscar a fazer seus exames ginecológicos, principalmente o papanicolaou. Mas é preciso esperar 6 meses após dar à luz, ok?

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Mães e filhos
Da Universa
Da Universa
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
DW
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Topo