menu
Topo

Sexo

9 fatores que podem influenciar seu orgasmo (e como tirar proveito deles)

Getty Images
A masturbação funciona como um treino para você descobrir em que pontos gosta de ser tocada Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

06/04/2018 04h00

Pensar em sacanagem de manhã bem cedo, trocar mensagens eróticas e apostar no poder do clitóris são alguns recursos que toda mulher deveria experimentar para atingir o clímax. Saiba mais:

Leia também:

Ter um momento flashback

Sabe o que funciona para preparar o corpo e a cabeça para um orgasmo daqueles? Começar a pensar em sexo logo no começo do dia. O ciclo de resposta sexual é composto por cinco etapas: desejo, excitação (lubrificação-tumescência), platô, fase orgásmica e resolução. A primeira delas, o desejo, é a largada para obter o prazer, e pode ser alimentada com estímulos externos e internos. Lembrar da última transa selvagem, por exemplo, é o passaporte para se animar para o que vai acontecer logo mais. Isso funciona melhor se você lembrar do cheiro ou do toque da pessoa desejada.

Lubrificação é tudo

Faixa etária, certos medicamentos e hormônios são alguns dos fatores que podem comprometer a lubrificação feminina. Mesmo que você esteja muito a fim de transar, se sua vagina não tiver uma umidade adequada o atrito da penetração vai machucar. Não há quem consiga relaxar e gozar com incômodo ou ardência. Portanto, é bom ter um lubrificante à base de água sempre à mão.

Fazer sexo verbal

Um estudo publicado na revista acadêmica norte-americana "Archives of Sexual Behavior" analisou mais de 52 mil pessoas de diferentes orientações sexuais e descobriram que as mulheres que têm orgasmos frequentemente estão mais propensas a trocar mensagens picantes com o parceiro durante o dia. Ainda de acordo com a pesquisa, o sexting mais eficaz é aquele em que os envolvidos revelam fantasias e desejos. O efeito é o de uma boa sessão de preliminares.

Tabus e preocupações, não

Sexo serve para liberar desejos, fantasias e instintos. É o momento de dar e sentir prazer, mexer o corpo, emitir sons, ser verdadeira com você mesma sem se preocupar com o que os outros vão pensar ou dizer. Portanto, desligue a voz de tabus e crenças limitantes que possam vir a invadir seus pensamentos e entregue-se. O mesmo conselho vale para preocupações com trabalho, questões financeiras, perrengues do cotidiano. Relaxe para abrir caminho ao prazer, diminuindo assim a exigência com sua performance e qualquer outra preocupação.

Sentir-se à vontade com o próprio corpo

Mais que aceitar a própria aparência, é preciso se sentir bem com o que tem e gostar do que vê no espelho. Isso reforça a autoestima e dá mais segurança e confiança para experimentar novas posições, andar nua pelo quarto, pedir o que deseja receber e até apreciar a própria performance.

Masturbar-se é aprender

Os terapeutas sexuais são unânimes: quem conhece bem o próprio corpo transa mais e melhor. A máxima vale, principalmente, para as mulheres, cuja maioria é desencorajada durante a infância e a adolescência a explorar os órgãos genitais. A masturbação funciona como um treino para você descobrir em que pontos gosta de ser tocada, qual intensidade prefere, que ritmo a excita etc. Trata-se de um processo muito gostoso de autoconhecimento para entender o que você curte ou não no sexo, permitindo dar vazão às suas vontades sem desrespeitar seus limites. Masturbar-se antes de um date, aliás, não é algo que só os homens podem fazer para aliviar a expectativa e se preparar melhor. Experimente.

Preliminares com sintonia

Na vida íntima nem sempre há sintonia na hora das preliminares e isso se deve à dificuldade que muita gente ainda sente em conversar sobre sexo. Na maioria das vezes, as pessoas tentam adivinhar o que o outro gosta e o que dá prazer. Se você não aprecia a maneira como alguém a chupa ou aperta seus mamilos, dificilmente vai se entregar totalmente ao momento e se excitar o suficiente para gozar. Por não abrir a boca, é possível que o cara acredite que está abafando. O melhor é sempre abrir o jogo e, mesmo em casos de extrema timidez ou pouca intimidade com o parceiro, vale direcioná-lo para o que lhe dá tesão, com frases como "Aí, não...", "Isso, continua", "Assim é mais gostoso" e por aí vai.

Clitóris no alvo

Segundo estudos, cerca de 80% das mulheres têm orgasmo via clitóris, órgão rico em terminações nervosas (são mais de 8 mil) e o único da anatomia humana voltado exclusivamente para o prazer. Estimulá-lo, portanto, é meio caminho andado para gozar. Como? As opções são variadas: via masturbação (durante a penetração ou sozinha), apostar numa posição em que ele fique em atrito com a virilha ou a perna do par, pedir para o parceiro excitá-lo, usar sex toys específicos para a região, etc.

Não fique o tempo todo pensando no fim

Se você está focada em chegar a algum lugar, não aproveitará a viagem e muito menos as delícias do caminho. Obter o grau máximo de prazer é um objetivo nobre e válido, claro, mas não deve ser de fundamental importância para um sexo gostoso. Vale mais a pena saborear cada minuto do que ficar o tempo todo tensa, esperando um "grand finale".

FONTES:
Cristiane Moraes Pertusi, doutora em Psicologia do Desenvolvimento Humano pela USP (Universidade de São Paulo); Cristina Carneiro, ginecologista e obstetra, de São Paulo (SP); Erica Mantelli, ginecologista, obstetra e pós-graduada em sexologia humana pela USP, e Tatiana Presser, psicóloga, sexóloga e autora do livro “Vem Transar Comigo” (Ed. Rocco)

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!