menu
Topo

Violência contra a mulher

Simone e Simaria contam como reagem a assédio: "Quebro no pau"

Reprodução/Instagram
simone e simaria Imagem: Reprodução/Instagram

da Universa

30/03/2018 17h03

Também conhecidas como "as coleguinhas", Simone e Simaria formam uma das duplas responsáveis pelo estouro do feminejo no país. Com letras que falam de sofrência, mas também do poder feminino, elas atraem hoje uma legião de fãs. E não economizam na hora de expor suas opiniões sobre os assuntos mais diversos. 

Em entrevista à QUEM, as irmãs revelaram não ser fácil se tornar uma mulher bem-sucedida em um meio até então predominantemente masculino. E creditam seu sucesso ao esforço pessoal. "Eu acho que a gente é muito guerreira, porque não é fácil. É muito duro ter que deixar o filho em casa e sair para trabalhar", disse Simone.

Simaria também lamenta a distância dos filhos, mas se orgulha da trajetória que vem seguindo. "Me sinto orgulhosa de saber que eu posso ser mulher, mãe, cantora, produtora e empresária de sucesso."

Quando o assunto é assédio, Simone revela ter passado por uma situação pontual no início da carreira: "Teve uma história com umas pessoas que queriam contratar a gente para trabalhar. Eu estava ferrada, não tinha 1 real no bolso, mas eu disse que se eu tivesse que fazer sucesso tendo algum tipo de relacionamento amoroso com eles, que me mandassem embora para casa naquele momento!". 

E emendou: "Eu sou mulher, mas na hora do 'vamos ver', para eu quebrar um homem no cacete é dois minutos. Não venha me assediar, não, que eu quebro no pau. Mas hoje os homens têm muito respeito pelo trabalho da gente”.

Simaria acrescenta dizendo que hoje existe um respeito maior. "Acho que hoje em dia não rola mais isso", diz. Mas e se acontecer? "Eu meto a mão na cara", responde categórica.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!