menu
Topo

Relacionamentos

Relacionamento aberto: conheça 10 'regras' de especialistas para dar certo

iStock
Relacionamento aberto: antes de tudo, é preciso estar bem com o par atual Imagem: iStock

Geiza Martins

em colaboração para Universa

24/03/2018 08h00

Muito se fala sobre relacionamento aberto, mas romper com a monogamia e manter uma relação saudável e feliz é um desafio. Na verdade, não existe liberdade no namoro ou casamento sem que ambas as partes se comprometam a seguir algumas regras --quem afirma são 3 especialistas em comportamento e sexualidade.

Paradoxal? Pode até ser, mas é assim que funciona. Detalhe: entre muitas perguntas e possíveis respostas, o gabarito de como deve ser os limites e as normas do relacionamento não-exclusivo depende de cada casal. Reunimos 10 delas, que são bem básicas. Confira:

1. Entenda o que é uma relação aberta!
Segundo Priscila Zacharias, psicóloga especializada em sexualidade, ambos devem entender que em um relacionamento assim assumiram um compromisso, mas estão abertas a um possível envolvimento físico com outras pessoas. "Para muitos casais, o relacionamento aberto é uma filosofia de vida, um sinônimo de amor livre. Porém, realmente, as regras básicas são necessárias. A liberdade absoluta cria o caos", comenta. Daí é que surge a necessidade de um tipo de contrato prévio.

Veja também:

2. Casal sensato
Um relacionamento aberto pressupõe, antes de tudo, que o casal esteja muito bem entre si e que os dois tenham maturidade emocional. Se você buscar abrir o seu casamento ou namoro com a intenção de salvá-lo, desista. "Isso não costuma dar certo. Na maioria das vezes, só acelera o fim do relacionamento, uma vez que o relacionamento aberto é usado para ‘agredir’ o outro", comenta o psicanalista e psiquiatra Mario Louzã.

3. O combinado não sai caro
Antes de abrir, é preciso esclarecer os limites e as formas que caibam a você e seu amor. Ambos devem ter claro o que querem e o que não querem que aconteça. Quanto mais explícitas as regras forem melhor. "Deve ser equitativo, ou seja, as partes devem ter total igualdade de direitos e deveres", afirma o psicanalista e psiquiatra Mario Louzã. Isso vale entre homem e mulher, dois homens, duas mulheres...

4. O nível de profundidade
Dentro do tal contrato prévio, vocês devem definir até onde podem ir ao se envolverem com alguém fora do relacionamento. Determine se é só sexo ou se o afeto por outro também é livre, afinal pode acontecer de um de vocês se apaixonar. "Alguns casais estabelecem que pode sexo, outros apenas beijo. É bem importante verificar o que cada um entende de uma relação aberta", aconselha o sexólogo Chrystiano Nogueira Macário.

5. Quem pode?
Outro ponto muito importante a ser deliberado é se o casal pode ficar apenas com desconhecidos ou se valem pessoas que circulam na mesma roda de amigos, ex-namorados. "Alguns casais combinam apenas de ficar com pessoas diferentes, variam. As pessoas fixas acabam virando um triângulo amoroso, daí é mais complicado de lidar", comenta Priscila.

6. Um bom lugar
É importante também definir onde serão os pontos livres para se relacionar com uma terceira pessoa. Cada casal define conforme sua vontade. Alguns permitem ficar apenas quando ambos estão no mesmo ambiente. Há aqueles que preferem nem saber o local em que aconteceu. "As regras têm de estar claras para os dois, ambos devem estar confortáveis. Caso contrário, podem causar problemas emocionais futuros".

7. Vá aos poucos
Chrystiano também recomenda ter muito cuidado quando abrir a relação. "A sugestão é ir pelas beiradas, por etapas, descobrindo e conhecendo melhor os limites, vendo como cada um se sente com cada etapa". O sexólogo propõe que seja analisado o comportamento inicial de ambos. "O começo é uma descoberta. Note se há ciúme, ou incômodo, veja se a relação aberta é positiva para si e para o outro".

8. Proteção sempre
Lembre-se que tanto você quanto seu parceiro são responsáveis pela saúde do casal. O uso de preservativos é obrigatório, pois compartilhar prazer com mais parceiros significa mais chance de ser afetado por doenças. "Ter compromisso com a saúde é essencial para não prejudicar ninguém", comenta Chrystiano.

9. Meu fechamento é você, mozão
Ainda de acordo com Prisicla, a chave do relacionamento aberto é o compromisso do parceiro por meio da cumplicidade e da lealdade entre o casal. "Tem de ter muito diálogo franco para um relacionamento aberto ser positivo e feliz. A sinceridade com o parceiro é sempre o principal ponto", comenta.

10. Mau sinal
Se começa a rolar muito ciúme, sentimento de inferioridade e discussões, talvez esteja na hora de parar tudo para entender se o relacionamento aberto funciona para vocês. Chrystiano afirma que quando há excesso dos momentos em que a prioridade é o relacionamento aberto no lugar da convivência a dois, há problemas no ar. "Se vocês perdem coisas que poderiam estar sendo construídas em casal, acho que é uma boa hora para ver se está valendo a pena, se não está tendo mais consequências ruins do que benefícios", finaliza.

Muito se fala sobre relacionamento aberto, mas romper com a monogamia e manter uma relação saudável e feliz é um desafio. Na verdade, não existe liberdade no namoro ou casamento sem que ambas as partes se comprometam ","image":{"sizes":{"personalizado":"","original":"900x506"},"height":506,"width":900,"crops":"1x1;3x4;4x3;9x16;16x9;16x12;80x80;142x100;142x200;300x100;300x200;300x300;300x420;300x500;615x300;615x470;956x500;1024x768;1254x836","src":"http://conteudo.imguol.com.br/c/entretenimento/ea/2018/03/23/relacionamento-aberto-antes-de-tudo-e-preciso-estar-bem-com-o-par-atual-1521829603824_v2_900x506.jpg","type":"","titulo":"Relacionamento aberto: antes de tudo, é preciso estar bem com o par atual ","credito":"iStock"},"date":"13/08/2018 12h10","kicker":"Da Universa"}}' cp-area='{"xs-sm":"49.88px","md-lg":"33.88px"}' config-name="universa/universa">

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!