menu
Topo

Autoestima

Oscar 2018: Mulheres em que você deve ficar de olho na noite da premiação

Mariana Araújo

do UOL, em São Paulo

04/03/2018 12h20

A primeira edição do Oscar desde o escândalo de abusos sexuais do produtor Harvey Weinstein e a consequente (re)ascensão do movimento #MeToo, que denuncia as violências sexuais sofridas por mulheres no mundo todo, faz com que todos os holofotes da cerimônia de 2018 se voltem para as mulheres.

Mas não é só suas histórias de sobreviventes que estão em jogo. É o protagonismo delas que é reclamado e debatido através de iniciativas como a campanha "Time's  Up", que não só busca combater os assédios em Hollywood, como criar oportunidades, condições e compensações de trabalho para mulheres em tudo igualitárias em relação aos homens. O que no cinema se traduz em papéis interessantes, de fôlego e foco também para elas.

Confira quais são as mulheres que podem brilhar na noite — e dar mais um passo para minimizar o desequilíbrio entre gêneros no cinema:

Veja também

Greta Gerwig

Getty Images
Greta Gerwig Imagem: Getty Images

A Greta Gerwig estreou na direção com "Lady Bird: É Hora de Voar", filme em que também escreveu o roteiro. E ele já é um grande sucesso, não só por ter sido muito bem recebido pela crítica — ele levou os prêmios de Melhor Filme, Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro no Globo de Ouro —, mas também por colocar neste circuito onde os homens são predominantes uma narrativa sobre o crescimento de uma garota.

O feito de Greta com "Lady Bird" no Oscar, até agora, já é importante: ela é a quinta mulher a ser nomeada na história da premiação; e a primeira desde 2010 quando Kathryn Bigelow ganhou por "Guerra ao Terror". Se levar, ela será a segunda diretora a levar uma estatueta para casa em 90 anos.

Octavia Spencer

Getty Images
Octavia Spencer Imagem: Getty Images

Indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por "A Forma da Água", Octavia é a mulher negra com o maior número de indicações ao Oscar, posição que ela divide com Viola Davis, que também tem três. Ela também é a única atriz negra a receber duas indicações após levar uma estatueta; por "Histórias Cruzadas".

Apesar de não ser a favorita da categoria, se tem alguém que pode dar a Allison  Janney uma canseira na busca pela estatueta, é ela. Que também pode fazer história ao se tornar a única atriz negra com dois Oscar na estante.

Allison Janney

Getty Images
Allison Janney Imagem: Getty Images

Favoritíssima da noite na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, o Oscar para Allison  Janney parece ser inevitável desde sua vitória no Globo de Ouro. Conhecida do público pela versatilidade — ela deu vida a personagens como Sally, a namorada de Clarissa (Meryl  Streep) em "As Horas" à divertida Bonnie da série "Mom".

Esta, aliás, é a perfeita oposição de sua personagem em "Eu, Tonya", o filme pelo qual concorre à estatueta, em que interpreta LaVona, a cruel mãe da patinadora Tonya Harding (Margot Robbie). Além de exibir sua versatilidade na noite, Allison deve se posicionar a respeito dos assédios, já que ela é membro vocal da iniciativa "Time's Up".

Meryl Streep

Getty Images
Meryl Streep Imagem: Getty Images

Este ano, a unanimidade Meryl Streep chega a sua 21ª indicação da carreira, esta na categoria de "Melhor Atriz", por "The Post: A Guerra Secreta". Vencedora em 1979 por "Kramer versus Kramer", em 1982 por "A Escolha de Sofia" e em 2011 por "A Dama de Ferro", ela não é a favorita da noite.

Mas apenas a sua presença e a nomeação são feitos históricos. É possível também que Meryl se manifeste em apoio às sobreviventes de Harvey Weinstein, já que ela se mostrou reticente em relação às primeiras denúncias contra o produtor.

Sua posição foi considerada por muitos como controversa, já que ela é uma defensora conhecida dos direitos da mulher — e uma das primeiras a falar abertamente sobre o gender pay gap, a diferença salarial entre homens e mulheres.

Mary J. Blige

Getty Images
Mary J. Blige Imagem: Getty Images

A cantora de R&B também é outro nome a fazer história na edição deste ano do evento, já que é uma das poucas negras a concorrer a prêmios — e em mais de uma categoria. Mary J. Blige disputa a estatueta de "Melhor Atriz Coadjuvante" por "Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi" e na categoria de "Melhor Canção Original", ela concorre por sua composição "Mighty River", para o mesmo filme.

Se ela levar quaisquer uma das opções para casa, pode ajudar o Oscar a dar um salto de representatividade, ainda que tímido.

Saoirse Ronan

Getty Images
Saoirse Ronan Imagem: Getty Images

Com apenas 23 anos, ela está na disputa com grandes e experientes nomes — como Meryl — pelo prêmio de Melhor Atriz. Ainda que não seja a favorita, já que a categoria parece estar nas mãos de Frances McDormand, sua presença ali representa uma vitória para a visibilidade de histórias escritas por mulheres, sobre mulheres, para mulheres.

Saoirse conduziu com delicadeza e força a sua Lady Bird no filme homônimo e poderia ser uma boa surpresa no palco, caso vença.

Frances McDormand

Paul Drinkwater/NBC via AP
Frances McDormand Imagem: Paul Drinkwater/NBC via AP

Frances é um patrimônio do cinema, querida na memória do público por viver a difícil mãe de William (Patrick Fugit) em "Quase Famosos", de 2000. Ela chega ao Oscar como vencedora certa da categoria "Melhor Atriz" por seu papel em "Três Anúncios Para Um Crime" — outra história dura sobre uma mãe que busca justiça para o assassinato de sua filha.

Se Frances levar, será uma vitória também para todas as mulheres: ela se manifesta abertamente na articulação e briga por papeis que rompam padrões de corpo, gênero, comportamento e idade, como mencionou na entrevista dada ao "The New York Times", e é uma das apoiadoras do "Time's  Up", o que deve fazer dela uma das forças nas manifestações pelos direitos da mulher este ano.