menu
Topo

Direitos da mulher

14 números que provam que o Oscar 2018 está longe da igualdade de gêneros

Merie Wallace/Divulgação
A atriz Saoirse Ronan e a diretora Greta Gerwig (à direita) no set de "Lady Bird: É Hora de Voar" Imagem: Merie Wallace/Divulgação

Mariana Araújo

do UOL, em São Paulo

04/03/2018 09h15

A cerimônia do Oscar 2018 é a primeira a acontecer desde o fortalecimento do movimento #MeToo — que combate o assédio dentro e fora de Hollywoode o surgimento da iniciativa "Time's Up", que reuniu grandes atrizes, produtoras, diretoras em torno do fortalecimento da presença feminina no mercado, o combate à desigualdade de salários e a luta em âmbito legal por condições dignas de trabalho.

Ainda assim, a disputa deste ano ainda está longe da representatividade igualitária entre os gêneros. Confira alguns números que demonstram a realidade da indústria do entretenimento:

Veja também

Greta Gerwig, que concorre na categoria de Melhor Diretor por "Lady Bird" é apenas a mulher a ser nomeada na história da premiação. E a nesta década — desde 2010 — quando Kathryn Bigelow ganhou por "Guerra ao Terror".

Rachel Morrison é a mulher a ser indicada a um Oscar de Melhor Direção de Fotografia por "Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi".

Apenas 1 mulher teve seu filme indicado entre os 10 concorrentes a Melhor Filme.

A francesa Agnès Varda está concorrendo ao seu Oscar aos 89 anos por Melhor Documentário, com "Visages, Villages".

Dee Rees é a mulher negra a ser indicada ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado também por "Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi".

A Academia é presidida atualmente pela Relações Públicas Cheryl Boone-Isaacs, a mulher a ocupar este cargo.

Este ano, Meryl Streep chega a sua 21ª indicação por "The Post: A Guerra Secreta". No entanto, ela só ganhou 3 vezes: em 1979 por "Kramer versus Kramer", em 1982 por "A Escolha de Sofia" e em 2011 por "A Dama de Ferro".

A indicação de "Lady Bird: É Hora de Voar" faz deste filme o 13º dirigido por uma mulher a concorrer na categoria. Ele também é a produção escrita e dirigida por uma mulher a receber nomeações nas categorias de Melhor Roteiro e Melhor Filme. 

Mary H. Ellis, que mixou o som de "Em Ritmo de Fuga" é a mulher a receber uma indicação na categoria.

Octavia Spencer, indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante é a mulher negra com o maior número de indicações na história, posição que ela divide com Viola Davis. Ambas têm 3. Octavia também é a única atriz negra a receber duas indicações após levar uma estatueta por "Histórias Cruzadas".