menu
Topo

Violência contra a mulher

Atriz de "Westworld" conta que tentou se matar após anos de abuso sexual

Getty Images
A atriz Evan Rachel Wood Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

28/02/2018 15h34

A protagonista de "Westworld", Evan Rachel Wood, 30, foi ao Congresso americano nessa terça-feira, 27, para testemunhar sua história de anos de violência doméstica e abuso sexual perante o Congresso americano. 

A atriz defendeu a implementação da Declaração dos Direitos Civis para Sobreviventes de Assédio Sexual em todos os 50 estados norte-americanos. A lei, assinada pelo ex-presidente Barack Obama em outubro de 2016, atualmente é válida em apenas 9 estados e garante direitos básicos às vítimas de abuso sexual.

Leia mais

"Eu tenho dificuldade em falar com vocês hoje porque não tenho certeza de quais palavras são apropriadas para discutir esse problema. Porém, se você não consegue ouvir toda a verdade, nunca conhecerá a empatia", começou Wood. "E eu acredito no ditado: se nós tivemos que viver, então vocês têm que ouvir". 

"Ele começou aos poucos, mas as coisas se intensificaram, incluindo ameaças contra a minha vida, gaslighting pesado e lavagem cerebral. Acordava com o homem que afirmou me amar estuprando o que ele acreditava ser meu corpo inconsciente". A pior parte, segundo ela, era quando seu parceiro praticava "rituais doentios em que amarrava suas mãos e pés" e então a espancava e a torturava física e mentalmente até que ele acreditasse que ela tinha provado seu amor por ele.

"Estupros - no plural"

Ela contou que sofreu anos de abuso nas mãos de seu parceiro e, tempos depois, de outro homem. "Eu aceitei minha impotência e acreditei que merecia aquilo de alguma forma. Por quê? Instintivamente, meu corpo sabia o que fazer: desaparecer, entrar num estado de entorpecimento, sumir. Ter sido abusada antes tornou mais fácil ser estuprada novamente - e não ao contrário".

"Eu não estava bem, e ainda não estou. As cicatrizes permanecem pela vida inteira. Sete anos depois dos estupros - no plural - que sofri, fui diagnosticada com estresse pós-traumático de longa duração. Eu pensei que estivesse ficando louca. Eu sofri com depressão, agorafobia e pânicos noturnos. Eu fiquei tão mal que tentei me matar duas vezes, o que me levou a procurar tratamento psiquiátrico para tratar do meu problema. Mas outras não têm a mesma sorte".

Assista ao depoimento completo da atriz no vídeo abaixo, a partir dos 18'30''.