menu
Topo

Casa e decoração

Como serão as casas inteligentes do futuro?

Getty Images
A tecnologia deverá se integrar à estrutura tradicional da casa e aos utensílios domésticos Imagem: Getty Images

Rachel Tepper Paley

da Bloomberg

19/02/2018 10h04

Não se preocupe: a tecnologia vai e vem, mas algumas coisas nunca mudam. Em um futuro não muito distante, os carros não precisarão de motoristas e os homens podem se tornar obsoletos (sinto muito, pessoal), mas uma casa continuará sendo uma casa. Só que ela vai ser muito mais inteligente.

É verdade que algumas tecnologias são melhores do que outras. Ninguém precisa de uma máquina para fazer suco com conexão por wi-fi, que na verdade não serve para nada.

Veja também

Aparelhos realmente úteis — como um forno inteligente ou móveis com código aberto — têm mais chances de se tornarem onipresentes. Se você não acredita muito nisso, pense assim: a refrigeração das casas foi uma invenção moderna e louca de 1913. Hoje, pouca gente consegue imaginar uma vida sem isso.

Como será a casa do futuro? Nós fizemos uma lista dos produtos com tecnologia doméstica mais emocionantes do mercado. É só uma questão de tempo para pelo menos alguns deles virarem padrão em todas as casas dos EUA.

A sala tecnológica

Atualmente, 39 milhões de americanos têm um alto-falante inteligente em casa — 1 de cada 6 pessoas — e tudo indica que esse número vai aumentar com o tempo.

Na sala do futuro, as caixas de som inteligentes serão uma característica central, com modelos mais novos conectados a cada elemento da casa, das lâmpadas e da fechadura da porta da frente até o termostato. Elas serão tão essenciais que você não pensará duas vezes e pagará US$ 400 cada uma.

A tecnologia entra no quarto

A última onda da tecnologia doméstica é facilitar e melhorar a vida cotidiana, e isso começa com uma boa noite de sono.

Monitores de sono como o colchão inteligente da Eight e os aplicativos para smartphone Sleep Time e Sleep Cycle usarão sensores para medir suas métricas de sono e despertadores inteligentes como o mini Echo da Amazon ajudarão você a começar seu dia com o pé direito, dando a hora, o tempo e as notícias.

Depois de levantar, é hora de se vestir. Seu armário estará cheio de roupas que não são simplesmente roupas para serem usadas. Elas também vão interagir com você, rastreando indicadores de saúde e hábitos.

Reprodução
Uma casa high-tech como a do desenho "Os Jetsons" está cada vez mais próxima de se tornar realidade Imagem: Reprodução

Um exemplo: as luvas inteligentes da Made With Glove, ainda em desenvolvimento, prometem detectar a temperatura da pele e aquecê-la adequadamente.

Suas roupas vão poder, inclusive, mudar de forma ou de cor em função das suas sensações, como o Sensoree, o suéter de ânimo, já disponível em pré-venda. E se você quiser um guarda-roupa novo, não vai precisar sair de casa para comprar as roupas mais adequadas: com o espelho patenteado da Amazon você vai poder experimentar as roupas no conforto do seu quarto.

Parece exagero? Lembre-se de que há dez anos pouca gente poderia imaginar que seríamos tão dependentes dos nossos smartphones e muito menos que poderíamos fazer compras pela internet ou dar ordens a um assistente digital. Com o tempo, até mesmo as coisas mais estranhas podem se tornar normais.