menu
Topo

Moda

Quer uma bolsa de grife? Veja dicas para investir em itens de marca de luxo

Patricia Araújo/UOL
A clássica bolsa da Chanel: melhor comprar colorida ou uma neutra? Imagem: Patricia Araújo/UOL

Marcela Duarte

Colaboração com o UOL

16/02/2018 04h00

Você sonha em ter uma bolsa de grife? Ou uma roupa dessas que se passam de mãe para filha? Ah, você pira mesmo é em lenço? Seja qual for a sua peça-desejo, se você está planejando comprar seu primeiro artigo de luxo, preste atenção nas dicas da stylist Manu Carvalho e da personal stylist Mel Galhardo e saiba no que deve ficar atenta para não se arrepender depois:

Devo esperar uma ocasião especial?

“A primeira compra de luxo pode ser uma comemoração, uma celebração, o primeiro salário importante, um novo emprego, o começo da vida adulta. Gosto de pensar como uma conquista, acho que dá um sabor a mais”, diz Manu, que fala isso com base numa história que aconteceu com ela em 1995. “Eu era produtora da 'Capricho' e me promoveram a editora. No dia seguinte, comprei uma bolsinha de náilon da Prada, com o salário que nem tinha recebido ainda, mas achava que tinha que ser uma profissional nova já no dia seguinte. Tenho ela até hoje. Já me desfiz de várias peças, mas ela ficou como símbolo de transição”. 

Veja também

Invisto em bolsa, sapato, casaco ou outra coisa?

Mel considera importante entender qual artigo de luxo vai fazer a diferença no conjunto de peças que você já tem, a não ser que você já tenha um desejo em mente. Ela não recomenda que seja um sapato, por causa do desgaste. A primeira compra de luxo da personal stylist foi uma bolsa Gucci, básica e atemporal -- ela comprou em 2010 e usa até hoje.

Escolho uma peça clássica ou na moda?

“Às vezes, um clássico você usa 20 vezes em cinco anos. Se é um item de moda em que você pira, pode ser que você use cem vezes em seis meses. Eu faria essa conta: quantas vezes vou usar para valer o investimento?” Já Mel indica itens clássicos e neutros para combinar com o que você já tem, até para que não fique tão evidente que é uma peça superespecial no meio de outras mais comuns. "Coisas muito diferentes, muito criativas, são mais difíceis de transitar no guarda-roupa.”

Compro aqui ou espero viajar ao exterior?

“Por mais que o dólar e o euro estejam altos, ainda assim vale a pena comprar lá fora”, diz Mel. Ela avisa, ainda, que no exterior costumam haver mais opções, pois em geral as coleções não vêm completas ao Brasil. 

Para ela, há uma grande vantagem de se comprar no Brasil: a facilidade de fazer a troca, caso necessário. Manu lembra que, comprando no Brasil, há a possibilidade de se parcelar a compra no cartão de crédito, o que não costuma ser feito no exterior.

Como ter certeza de que o produto não é falsificado?

Compre direto na loja da marca. "Comprar pela internet é um grande risco. Já vi muita coisa falsificada parecendo ser verdadeira”, alerta Mel. Manu diz que prefere parcelar em dez, doze vezes comprando na marca do que se arriscar em site que revenda, "porque sempre tem uma brecha". Se ainda assim você quiser comprar em site, leve na loja para confirmar a autenticidade.

Aqui no Brasil existem lojas virtuais especializadas em peças de luxo que já criaram mecanismos para averiguar a autenticidade das peças. O Peguei Bode e a Etiqueta Única, por exemplo, dão garantia de produto original. "Nossa triagem é rigorosa e tudo vem de amigas ou indicações confiáveis”, afirma Gabriela Carvalho, uma das criadoras do Peguei Bode. Na Etiqueta Única, a peça só entra à venda depois de passar pelo processo de autenticação e receber um cartão, um lacre e um certificado.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!