menu
Topo

Inspira

Ideias para uma vida mais plena

Cachorro de chupeta? O que é ou não saudável nos cuidados com os bichos

Caio Borges/UOL
Nem toda raça de cachorro precisa usar roupinhas, mesmo no frio Imagem: Caio Borges/UOL

Carolina Prado e Letícia Rós

Colaboração para o UOL

13/02/2018 04h00

Para muitas pessoas, o animal da estimação é como membro da família e, por isso, merece cuidados com a sua saúde e bem-estar como qualquer outro integrante da casa. No entanto, especialistas dizem ser necessário certa cautela na humanização (e pelo bem do pet mesmo).

“Não é adequado interagir com o animal como se ele fosse um humano e esperar que ele responda como tal”, diz a veterinária Sabina Scardua, doutora em comportamento animal. A seguir, especialistas opinam sobre alguns comportamentos que tutores têm com seus cachorros.

Veja também:

Creche: é saudável

Não é bom deixar o cachorro sozinho o dia inteiro. Estressado, ele destrói móveis e objetos. Também pode desenvolver depressão e ansiedade, por falta de distração e acúmulo de energia. Por isso, as creches para cachorros são boas opções para quem trabalha fora o dia todo ou não consegue passear e entreter o animal de forma satisfatória. Essas instituições devem oferecer atividades que levem em consideração se o animal é filhote, idoso ou muito agitado.

Ao escolher um local, certifique-se de que é seguro, para evitar fugas, e devidamente limpo. E se há o número adequado de funcionários para supervisionar os cachorros. Melhor ainda se tiver um médico veterinário no local. Desconfie dos estabelecimentos que não pedem a carteira de vacinação. Antes de serem matriculados, os cachorros devem passar uma avaliação completa de saúde, comportamento e de sociabilidade com outros animais.

Chupeta: não é saudável

O acessório é desaconselhável para cachorros, porque foi feito para atender a necessidade de sucção de bebês humanos. A chupeta é projetada para se adaptar anatomicamente à boca deles. Ao usar o acessório, o cachorro corre o risco de mastigar e engolir a borracha. Além do mais, filhotes que chupam chupeta podem ter problemas de desenvolvimento dos dentes.

Roupa: depende

As raças com pouca gordura no corpo e de pelos curtos sentem mais frio e podem precisar de roupas em temperaturas mais baixas. “Já raças de pelos longos não precisam, porque a pelagem natural protege tanto do calor quanto do frio”, diz a veterinária especialista em comportamento animal Carolina Rocha, cofundadora do site "Pet Anjo". Prefira peças de tecidos naturais (que transpiram e não causam alergias) e com elásticos que não apertem ou atrapalhem o caminhar do cachorro.

Muito banho: não é saudável

Um cachorro com a saúde em dia não precisa mais do que dois banhos por mês. O excesso de xampu, sabonete e outros produtos químicos pode provocar alergias e até intoxicações leves. Se estiver em tratamento por problemas dermatológicos, o cachorro pode precisar de mais de um banho semanal. Mas daí ele usará produtos específicos, receitados pelo médico veterinário. A temperatura da água, o local do banho e a forma de secagem dos pelos devem ser levados em conta para que o bicho continue saudável.

Passeio em carrinho de bebê: não é saudável

O cão deve passear sobre as próprias patas, e de coleira, para gastar energia, exercitar-se, sociabilizar com outros animais, sentir cheiros diferentes e aprender sobre o mundo que o rodeia. “O uso excessivo do carrinho torna o cão um ser incapaz, ele foi feito para andar no chão”, diz o veterinário Aldo Macellaro, proprietário do Clube de Cãompo Hotel Fazenda para Cães, em Itu (SP). O carrinho é uma opção apenas quando o cachorro está com membros fraturados, depois de cirurgias complexas ou quando a imunidade dele está comprometida. Nesses casos, o acessório ajuda a manter a rotina de passeio durante a recuperação.

Sapatinhos: depende

É uma boa opção para evitar o asfalto escaldante, durante o passeio nos dias de verão. Mas melhor mesmo, é sair para passear em horários em que a temperatura esteja mais amena. É valido para animais com imunidade comprometida ou em tratamento. Salvo esses casos, os especialistas são unânimes: deixe seu pet livre de sapatos. Primeiro porque os cães detestam esses acessórios. Depois, porque o uso pode trazer prejuízos para a coluna, perda de equilíbrio e impede que o animal lixe as unhas de maneira natural. 

Mais Inspira