menu
Topo

A semana: baile da Vogue, Grammy e visibilidade trans

Natacha Cortêz

Do UOL

04/02/2018 04h00

Os acontecimentos, as pessoas e as iniciativas que tiveram destaque na última semana, impactando a vida e o olhar das mulheres.

O baile mais esperado exige o close perfeito

Rafael Cusato, Iwi Onodera e Manuela Scarpa/Brazil News
Imagem: Rafael Cusato, Iwi Onodera e Manuela Scarpa/Brazil News
O Baile da Vogue é a festa de pré-Carnaval mais esperada do ano, aquela que reúne a nata das celebridades brasileiras no mesmo metro quadrado, cada um com milhões de seguidores. A celebração é armada para o close: a foto perfeita, a pose ideal, a fantasia mais incrível. Para quem vê de fora —via Instagram, lives nas redes sociais e afins— tudo é brilho. Aqui, as impressões da noite mais instagramável de São Paulo

Irã prende 29 mulheres em protesto contra o véu

A polícia do Irã prendeu 29 mulheres que haviam tirado o véu em protesto contra a obrigatoriedade do uso do hijab, indumentária islâmica que cobre o pescoço e os cabelos. Segundo a agência pró-governo Tasnim, as manifestantes participavam de um movimento conhecido como "quarta-feira branca", em referência à cor de seus véus. No Irã, as mulheres que saem na rua sem a vestimenta arriscam penas de até dois meses de cadeia.

Ensino médio perde alunos

As matrículas do ensino médio tiveram queda em 2017, no momento em que se esperava o movimento contrário, de inclusão, já que há cerca de 1,5 milhão de jovens de 15 a 17 anos fora da escola. 

#MeToo chega à China, mas é censurado

Bertrand Guay/AFP
Imagem: Bertrand Guay/AFP
O governo da China estaria agindo para evitar que o movimento "Me Too", que denuncia abusos e assédio sexual, ganhe espaço no país. Recentemente, acadêmicos chineses foram demitidos de seus cargos por envolvimento em crimes sexuais, o que incentivou as mulheres do país a aderirem à corrente criada nos Estados Unidos, em meio às polêmicas de Hollywood. Mas o governo chinês estaria impedindo o crescimento da campanha. Leia mais aqui

Grammy 2018: os discursos empoderados da premiação

Christopher Polk/Getty Images for NARAS
Lady Gaga comparece ao Grammy 2018 usando uma rosa branca para protestar contra o assédio Imagem: Christopher Polk/Getty Images for NARAS
Assim como o Globo de Ouro, o Grammy seguiu o tom do momento de mudanças em relação às mulheres. Diversas estrelas que passaram pelo tapete vermelho ou pelo palco da premiação, no domingo (28), usaram o espaço para se manifestar contra os assédios e abusos sexuais cometidos por figuras de poder do meio —e que foram denunciados em 2017.

Fraldários apenas para mães serão multados em SP

Até maio, todos os shoppings de São Paulo terão de ter fraldários que permitam a entrada de homens e mulheres. A determinação é de uma lei municipal sancionada em novembro e quer acabar com a história de o espaço ser acessível só para as mães (afinal, pais também trocam fraldas). O estabelecimento que desobedecer a regulamentação terá de pagar multa de R$ 10 mil.

Semana da visibilidade trans

Carine Wallauer/UOL
Amara Moira Imagem: Carine Wallauer/UOL
Nesta semana, o UOL produziu uma série de reportagens sobre o tema. Falamos dos desafios das mulheres trans nos relacionamentos, da visão de homens trans sobre machismo" e entrevistamos Amara Moira, travesti, feminista e escritora, referência em debate de gênero no Brasil.

Juiz manda devolver passaporte de Lula

O juiz federal Bruno Apolinário decidiu, na sexta-feira (2), pela devolução do passaporte do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), acatando em caráter liminar pedido de habeas corpus da defesa do petista. O magistrado, que foi convocado para atuar no TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região, sediado em Brasília), também determinou que o nome de Lula seja retirado do Sistema Nacional de Procurados e Impedidos da Polícia Federal.

Petição exige demissão de ministro francês acusado de estupro 

AFP/Stephane de Sakutin
Imagem: AFP/Stephane de Sakutin
Militantes feministas lançaram um abaixo-assinado para pedir a demissão do ministro de contas públicas da França, Gérald Darmanin, 35 anos, investigado por estupro. A petição é direcionada ao primeiro-ministro do país, Édouard Philippe, e afirma que uma pessoa envolvida em um episódio de violência sexual não pode continuar no governo. Além disso, o abaixo-assinado lembra que quatro ministros foram imediatamente tirados de seus cargos, quando, em junho passado, surgiram suspeitas de irregularidades envolvendo seus nomes.

Não é feminista, mas tem "tremendo respeito" por mulheres

Jonathan Ernst /Reuters
Imagem: Jonathan Ernst /Reuters
Frequentemente criticado por sua conduta em relação às mulheres e alvo de denúncias de assédio, Donald Trump declarou que não se considera um feminista, mas que tem “tremendo respeito pelas mulheres”. A declaração do presidente norte-americano aconteceu durante entrevista para o também controverso jornalista Piers Morgan, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça).