menu
Topo

Novidades de beleza

Hidratar o cabelo durante o exercício é nova onda, veja como fazer o ritual

Reprodução/Instagram
Didi Wagner besunta os cabelos com creme antes de ir à academia Imagem: Reprodução/Instagram

Paula Roschel

Colaboração para o UOL

31/01/2018 04h00

A hora dos exercícios pode se transformar numa bela chance para fazer do coque um casulo perfeito para produtos de hidratação dos fios. A técnica tem, inclusive, respaldo de especialista: “A academia é um momento propício para tratar dos cabelos, por causa do tempo de pausa do cosmético nos fios", explica a tricologista Ana Carina Bertin.

A médica recomenda o uso de máscaras, cremes, óleos e tônicos de couro cabeludo. "A aplicação de lipídio, como creme com emoliência, máscara, condicionador ou leave-in, blinda um pouquinho o couro cabeludo do suor”, completa. Basta aplicar os produtos, prender os cabelos e lavá-los após o exercício.

Esse ritual tem conquistado inclusive famosas, entre elas a apresentadora Didi Wagner: "Como meus cabelos são mais ressecados por conta do reflexo que faço há muitos anos, procuro maneiras práticas de aplicar hidratação no meu dia a dia. E uma das coisas que costumo fazer é passar um creme nos cabelos antes da ginástica. Deixo agir durante o treino e depois lavo com xampu e condicionador. Sinto efeito imediato da hidratação dos fios logo ao sair do banho", garante.

Veja também:

Produtos ajudam a blindar a raiz

Aplicar cosméticos também ajuda a minimizar os danos do suor no couro cabeludo e nos fios: “O protetor seria, idealmente, uma máscara ou um óleo de proteção. Pode-se trabalhar, por exemplo, com óleos com características terapêuticas, calmantes, para diminuir caspa ou oleosidade”, indica Ana Carina Bertin. A lavagem após o uso do óleo, entretanto, precisa ser feita com um pouco mais de vigor -- com dois ou três xampus.

Cuidado com elásticos muito apertados 

“O ideal é prender o cabelo de maneira que não haja muito dano ao fio e ao couro cabeludo. Usar elásticos muito apertados aumenta a fricção, induzindo à quebra. Além disso, não se deve tracionar os cabelos excessivamente. A força de maneira exagerada leva, com o tempo, a um quadro conhecido como alopecia de tração. Em casos crônicos, a alopecia de tração pode não ser completamente reversível”, pontua Rodrigo Pirmez.

Reforce os cuidados para se exercitar ao ar livre e na água

O dermatologista André Braz indica medidas para deixar as mechas com saúde em esportes aquáticos: “Nos exercícios em piscina, aplicar cremes específicos para os fios antes de entrar na água ajuda a prevenir o ressecamento. Vale também usar toucas de silicone, que reduzirão o contato. Esses mesmos cuidados evitam que cabelos loiros fiquem esverdeados.” Para quem gosta de se exercitar ao ar livre, o uso de proteção física, como boné ou chapéu, é recomendada pelo médico -- com ou sem creme.

Lavar os cabelos após o treino é essencial

Não passou creme para fazer exercícios, mas transpirou e ficou com preguiça de lavar os cabelos? Isso pode prejudicar intensamente os fios, pois o suor em excesso sensibiliza e acelera o processo de envelhecimento: “O suor em excesso gera um processo oxidativo e envelhece todas as células da região -- de cabelo, folículo piloso, fibra capilar ou do couro cabeludo. Então quando acontece esse processo, o cabelo vai ficando mais fraco, sem brilho e sem viço”, alerta Ana Carina Bertin.

“Se a atividade é frequente, é interessante enxaguar os cabelos apenas com água após o treino, para remover o suor que se acumula entre as lavagens. Em cabelos ressecados e naturalmente frágeis, como os enrolados, pode-se usar condicionadores após cada enxágue”, esclarece Rodrigo Pirmez, dermatologista da clínica André Braz, do Rio de Janeiro.

Seque sempre os fios, principalmente à noite

Se lavar o cabelo no pós-treino é essencial, secá-lo também se faz muito necessário, ainda mais se sua atividade física acontecer no período noturno: “Os fios úmidos ficam frágeis e quebram mais em contato com o travesseiro. Além disso, dormir com cabelo molhado favorece o aparecimento da caspa e acelera a queda capilar”, explica Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.