menu
Topo

Beleza

O que é PPD no protetor solar? Veja o que significa e acerte na compra

Getty Images
De olho no rótulo: saiba o que é o PPD no protetor solar Imagem: Getty Images

Jessica Arruda

Colaboração para o UOL

25/01/2018 04h00

Na hora de comprar um protetor solar, geralmente só prestamos atenção em uma informação no rótulo: o Fator de Proteção Solar (FPS), que indica a eficácia contra as radiações UVB, responsáveis por queimaduras, vermelhidão e ardência. Porém, há outra sigla menos popular, mas tão importante quanto: o PPD.

Em inglês, PPD se refere a Persistent  Pigment  Darkening -- ou Escurecimento Persistente do Pigmento. Esse índice também pode aparecer com a indicação FP-UVA. Ele mede a proteção contra os raios ultravioleta A, que penetram profundamente na pele, causando danos às fibras de colágeno, causando fotoenvelhecimento cutâneo.

Veja também:

Qual o PPD adequado para o protetor solar?

Para entender como funciona esse parâmetro, é preciso saber que o índice começa no 10 e deve representar, no mínimo, um terço do FPS. “Por exemplo, no caso de um protetor solar com FPS 30, o ideal é que o PPD seja pelo menos de 10”, explica Pedro Dantas Oliveira, coordenador do Departamento de Oncologia Cutânea da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Nas embalagens dos protetores solares, o valor do PPD também pode ser graduado com sinais + (baixa), ++ (média) e +++ (alta proteção). “Alguns produtos trazem a informação de ‘proteção UVA’ ou ‘proteção de amplo espectro’, o que significa que eles também protegem contra a radiação ultravioleta A”, completa o dermatologista.

Diferença entre FPS e PPD

O FPS aponta o nível de proteção contra queimaduras solares, causadas especialmente pela radiação UVB. “Se o FPS for 30, ele indica que o usuário está 30 vezes mais protegido contra estes problemas”, reitera a dermatologista Cíntia Guedes Mendonça.

Já o PPD garante a proteção contra os raios UVA, que aceleram o surgimento de rugas, manchas e até flacidez. Quanto maior for este índice no filtro solar, maior será o cuidado com a pele.

Aproveitar o sol sem medo

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda evitar o sol nos horários mais quentes, das 10 horas da manhã às 4 horas da tarde. “Lembrando que devemos sempre passar o protetor pelo menos 30 minutos antes da exposição solar, usar produtos com fatores altos e reaplicar várias vezes”, esclarece Cíntia Guedes.

O protetor solar não é a única medida de fotoproteção: é recomendado buscar sombras de árvores, tendas ou guarda-sol e utilizar roupas leves, de preferência com fator de proteção, bonés e óculos escuros. “O uso de hidratantes após a exposição ao sol e o consumo de, pelo menos, dois litros de água são medidas importantes para manter a saúde da pele”, completa a dermatologista.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!